Muita gente não acredita nisso, mas George Lucas afirma que sempre quis contar a história de Star Wars em seis filmes, fazendo dessa franquia uma mega-saga. A verdade é que, lá pro final dos anos 80 e início dos anos 90, Star Wars já não tinha a força que um dia possuiu. O mechandising junto aos licenciamentos de produtos não estavam sendo tão rentáveis quanto antes e a franquia começou a perder um pouco de força. Somado a esse fato, o divórcio de Lucas com sua esposa Marcia em meados dos anos 80, secou todas as suas fontes financeiras e o diretor quase veio à falência. Mostrado todos esses fatos, é difícil de não relacionar tudo isso com a ideia do novos episódios de Guerra Nas Estrelas. Existem aqueles que acreditam na ganância de Lucas, que ele queria mesmo era encher seu bolso de dinheiro novamente.

Nos vários making-offs de A Ameaça Fantasma nos é mostrado que o diretor e criador da saga, na verdade, tinha rascunhos antigos com vislumbres do que poderia ser essa história prelúdio. Cenas deslocadas, que não conversavam entre si. Sua ideia inicial era contar apenas uma história, fazer um filme que se relacionasse ao final com a trilogia clássica. Por fim, o criador resolveu deixar essa ideia simples de lado e focar em uma nova trilogia, que contaria toda a jornada de Anakin Skylwaker até se tornar o terrível Darth Vader. Em decorrência disso, chegou aos cinemas norte-americanos em 1999 Star Wars: A Ameaça Fantasma. O primeiro desses duvidosos capítulos se passaria 32 anos antes dos eventos vistos em Uma Nova Esperança.

A franquia, embora andasse um pouco esquecida pelos cinéfilos de plantão da época, voltou com tudo. Os adultos faltavam ao trabalho e as crianças matavam aula; as filas para pegar uma das sessões do filme dobravam quarteirões, e várias matérias televisivas sobre o evento foram produzidas. O sucesso dessa volta triunfal aos cinemas da saga foi refletida na bilheteria, fazendo o filme arrecadar mais de um bilhão de dólares ao redor do mundo. Vale lembrar que os fãs de longa data de Guerra Nas Estrelas não tinham nada mais, no cinema, relacionado à franquia desde 1983, então toda a loucura e ansiosidade poderiam muito bem ser entendidas pelas pessoas fora desse ciclo. O mundo todo estava impressionado com a grandiosidade da Força que essa saga ainda possuía (gostaram do trocadilho?). Fato é que, todos esses três capítulos foram, para uma grande parcela dos fãs, decepcionantes. Talvez seja pela alta expectativa criada por todo mundo em volta dessa história, ou simplemente porque George Lucas já não era mais o cara talentoso de antes; o diretor estava há mais de 20 anos sem dirigir filme algum.

Toda a história que cerca essa nova trilogia de Guerra Nas Estrelas possui uma forte trama política, vista por muitos como desinteressante e chata durante diversos momentos. O problema em si não é falar sobre governos, tratados e organizações, mas sim a forma como elas são inseridas no meio da história. Para um filme relativamente infanto-juvenil, se isso não é colocado de uma forma superficial e convidativa, desperta certos sentimentos de confusão e desapontamento. Talvez ninguém queira saber sobre os tratados de comércio ou suas ramificações, assim como seus desdobramentos.

Outro fato desconcertante é a superutilização dos esclarecimentos que, sinceramente, talvez ninguém quisesse saber. É fato que essa segunda trilogia possui explicações demais, como por exemplo: quem criou o C-3PO, onde descobrimos nesse primeiro filme que seu criador foi o próprio Anakin, tonando o dróide uma espécie de meio-irmão de Luke e Leia (já tinham parado para pensar nisso?); o real significado/exemplificação da Força, onde nos é mostrado que toda a explicação poética de Obi-Wan no Episódio IV, sobre ela ser um campo místico que liga todos os seres vivos e une a galáxia, na verdade é desconsiderado e, no lugar dela, é dito que a Força na verdade é baseada na quantidade de midi-chlorians de um ser; e também, existem aqueles que se questionam se existia mesmo a real necessidade de se contar toda a jornada de Anakin Skywalker até se tornar Darth Vader. Enfim, compartilhando ou não desses pensamentos, fato é que os Episódios I, II e III de Star Wars dividiram muitas opiniões.

A confusa e entediante história

A história se passa 32 anos antes da Batalha de Yavin, que marcou a destruição da primeira Estrela da Morte. O mestre Jedi Qui-Gon Jinn (Liam Neeson) e seu aprendiz, o jovem Obi-Wan Kenobi (Ewan McGregor), são enviados para negociar com a Federação de Comércio um meio de acabar com o bloqueio comercial ao planeta Naboo. Darth Sidious (Ian McDiarmid), um lorde Sith e conselheiro secreto da Federação de Comércio, ordena que seus aliados matem os Jedi e invadam Naboo com um exército de dróides de batalha. Os Jedi escapam e fogem para Naboo, onde Qui-Gon salva inadvertidamente um gungan nativo do planeta, Jar Jar Binks (Ahmed Best), de ser morto durante a invasão. Com uma dívida com os Jedi, Jar Jar leva-os a Gunga City, uma cidade subaquática. Os Jedi tentam em vão convencer o líder Gungan, Chefe Nass, em ajudar o povo de Naboo, embora eles consigam obter transporte para Theed, a capital na superfície. Eles resgatam a rainha Amidala (Natalie Portman), a governante do povo de Naboo, e escapam do planeta em sua nave espacial real, que é danificada quando eles passam pelo bloqueio da Federação.

A nave de Amidala é incapaz de sustentar seu hyperdrive e é feito um pouso de emergência no planeta desértico e isolado de Tatooine. Qui-Gon, Jar Jar, o droíde astromecânico R2-D2 (Kenny Baker) e Amidala (disfarçada como Padmé, sua serva) visitam o assentamento de Mos Espa para comprar novas peças em uma loja de sucata. Reúnem-se com o proprietário da loja, o alien Watto, e seu escravo de nove anos de idade, Anakin Skywalker (Jake Lloyd), que mesmo sendo apenas uma criança humana já é um talentoso piloto e engenheiro e criou um droíde de protocolo chamado C-3PO (Anthony Daniels). Qui-Gon sente uma forte presença da Força dentro de Anakin e está convencido de que ele é O Escolhido da antiga e famosa profecia Jedi, o responsável por trazer equilíbrio à Força. Qui-Gon aposta a liberdade de Anakin com Watto em uma Podracer (corrida de pods), que Anakin ganha. O jovem Skywalker então se junta ao grupo para ser treinado como um Jedi, deixando sua mãe, Shmi (Pernilla August), para atrás. A caminho de sua nave, Qui-Gon duela brevemente com Darth Maul (Ray Park), aprendiz de Darth Sidious, que foi enviado para capturar Amidala.

Os Jedi escoltam Amidala até a capital da República, Coruscant, para que ela possa invocar o caso de seu povo ao chanceler e ao Senado Galáctico. Qui-Gon solicita ao Conselho Jedi a permissão para treinar Anakin como um Jedi, mas o Conselho, preocupado com o fato de Anakin ser vulnerável para o Lado Negro da Força, recusa. Determinado, Qui-Gon diz que irar treinar Anakin de qualquer maneira. Enquanto isso, o senador de Naboo, Palpatine (representado anteriormente na figura de Darth Sidious), convence a jovem Rainha Amidala a fazer um voto de não confiança no chanceler para que pudessem ser feitas novas eleições para o cargo, e o eleito teria de ser mais capaz de resolver a crise em Naboo do que o atual chanceler. Embora ela hesite no momento da votação, Amidala fica frustrada com a corrupção no Senado e decide voltar a Naboo com os Jedi. Agora, uma grande batalha está prestes a acontecer.

A Ameaça Fantasma sofre muito pela falta de uma linha narrativa principal, que levará os personagens de um lugar a outro, fazendo-os passar por evoluções e aprendizados; além de, também, perecer de um bom protagonista; o personagem de Liam Neeson é o que mais chega perto dessa alcunha, embora o mesmo seja, como todos os outros personagens desse filme, descartável e sem uma única peculiaridade. Sofrendo com uma história desinteressante e chata em diversos momentos, os atores não possuem muito tempo para brilhar. Ewan McGregor, Natalie Portman e o próprio Liam Neeson são os únicos que conseguem entregar atuações decentes; o roteiro não ajuda nem um pouco os outros profissionais do ramo a prosperarem. O que mais sofre com tudo isso é o jovem Jake Lloyd, e consequentemente seu personagem. Lloyd é pequeno e despreparado, necessitando na maioria das cenas de um diretor que o ajudasse a trabalhar em seu papel, coisa que George Lucas não faz. Os vilões do filme, diferente de todos os outros que vieram antes, não são memoráveis; o personagem de Ray Park, embora seja estiloso e visualmente atraente e impressionante, é genérico, entra mudo e sai calado, e só foi ganhar uma certa importância quando foi ressuscitado, anos depois, em histórias que ainda não vimos no cinema e pertencem apenas ao universo expandido.

Mestre Yoda e Mace Windu, representados respectivamente por Frank Oz e Samuel L. Jackson são completamente subaproveitados e não fazem nada além de andar e conversar turante todo o longa. O alívio cômico do filme, Jar Jar Binks, interpretado pelo ator Ahmed Best é, talvez, uma das coisas mais ridículas de toda a franquia (ao lado dos Ewoks que deram às caras no Episódio VI). O personagem não tem graça e é incrivelmente retardado. Com seus trejeitos atrapalhados, Binks lidera todas as cenas de vergonha alheia do longa, não conseguindo divertir nem as crianças. As batalhas totalmente em CGI do filme também prejudicam o aproveitamento da película, já que não possuem peso e o espectador praticamente as ignora. Sem contar nos erros de continuidade e enxertos que o longa utiliza, para que sua duração seja mais longínqua, como por exemplo: a repetição de cenas onde os Jedi, sem nenhuma dificuldade, destroem os dróides patéticos do exército inimigo; Anakin Skywalker entrando em uma nave de batalha e achando um capacete do tamanho exato de sua cabeça; etc.

Ao menos a trilha sonora de John Williams consegue empolgar. O compositor aqui, novamente, faz um trabalho magistral e entrega mais algumas icônicas faixas para a franquia (e para o cinema). Com uma direção preguiçosa, um roteiro desanimador e personagens longe de transmitirem algum carisma, A Ameaça Fantasma (título que hora nenhuma é explicado durante o filme; o que, de fato, é essa Ameaça Fantasma, pessoal?) se consolidou na mente de muitos fãs como o pior filme de toda a franquia de Star Wars.

Star Wars – Episódio I: A Ameaça Fantasma (Star Wars – Episode I: The Phantom Menace) – EUA, 1999, cor, 136 minutos.
Direção: George Lucas. Roteiro: George Lucas. Produção: Rick McCallum. Música: John Williams. Cinematografia: David Tattersall. Elenco: Liam Neeson, Ewan McGregor, Natalie Portman, Jake Lloyd, Ian McDiarmid, Ahmed Best, Ray Park, Anthony Daniels, Kenny Baker, Pernilla August, Frank Oz, etc.

Compartilhe

Sobre o Autor

Victor Dourado

Fissurado por quadrinhos, cinema e literatura. Estudante de Matemática e autor nas horas vagas. Posso também ser considerado como um antigo explorador espacial, portador do jipe intergaláctico que fez o Percurso de Kessel em menos de 12 parsecs.

  • Kleber Oliveira

    Grande Jipeiro. Diz aí, faz tempo que tu tá com esse buço aí embaixo do nariz? Não lembrava dessa sujeira na foto anterior. Que seja.

    Você já escreveu para todos os filmes? Eu gostaria de ler, acho que me ajudaria em não assistir, hehehe. Cara, até hoje não sei a razão mas eu tenho uma preguiça enorme para Star Wars. Não acompanhei tanto na infância e não tive ninguém que me empolgasse para assistir também. Passei batido nessa onda. De qualquer forma, pretendo assistir todos algum dia.

    Parabéns pelo texto, mesmo que seja para um filme bem méh.

    • Estephano

      Pô, Kleber, quase não aparece aqui e quando aparece é para zoar o cara? kkkkk

      Ele ta fazendo de todos. Pelo que acompanhei, ele fez até agora fez da trilogia clássica e desse.
      Eu também não sou o maior fã de SW do mundo, e na boa, já que você não se mostrou muito animado com esses filmes, se um dia for assistir, pega só a trilogia clássica para ver mesmo, nem perde tempo com a outra.

      • cleber

        Essa sua primeira frase parece uma descrição da minha pessoa, rs.

        • Estephano

          Deve ser um “mal” de Cleber/Kleber então. rs

          • cleber

            Pior que o dele é o original com K. O meu foi que foi abrasileirado, kkk

      • Estou cansado dessa vida… kkkkkk

      • Kleber Oliveira

        Hahaha O Jipeiro é tranquilo, ele manja das brincadeiras.

        Então você recomenda apenas a trilogia clássica?

        • Estephano

          Estou ligado. rs

          Então, pelo seu comentário, não me pareceu que você esta tão empolgado para ver os filmes, e aparentemente, não é um grande fã da franquia, correto?
          Caso esse seja o caso, eu sinceramente acho desnecessário assistir a última trilogia (I, II e III), já que além da qualidade questionável dos filmes, tem o fato de não ter tanto impacto nos filmes atuais, até porque na cronologia, houveram mais três filmes depois desses, que são justamente os da trilogia clássica.
          Caso você realmente tenha interesse em assistir todos os filmes, beleza. Mas se for começar a assistir pelo episódio 1, tenha paciência, pois o começo vai ser dureza. rs

    • Fui obrigado a mudar minha foto por causa da minha namorada… kkkkkk

      Grande Kleber!
      Eu escrevi, como o Estephano disse ali embaixo, para todos os filmes da trilogia clássica. Estou fazendo as críticas pela ordem de lançamento do filme, e vou falar sobre todos. Depois clica nas tags, elas vão te mostrar o restante deles. Seria um grande prazer ter você como leitor de todos eles.

      Bem, quem sabe você não assiste e se apaixona. Eu, felizmente, comecei a vê-los quando pequeno, pela segunda trilogia. Me apaixonei e anos depois vi a clássica. É um mundo riquíssimo e apaixonante. Tomara que dê uma chance um dia.

      E muito obrigado, meu amigo. Embora assistir tudo isso na infância tenha explodido minha cabeça, hoje vejo os episódios 1 e 2 com outros olhos, e concordo que eles são bem ruins.

      • Kleber Oliveira

        Já faz tempo que prometo assistir mas nunca me empolgo. Vou ler a suas críticas e tentar ver filme por filme.

        Você me disse uma vez mas esqueci, qual é a sua preferência de ordem para assistir?

        • Beleza. Leia elas, talvez se convença.

          Eu sempre assisto pela seguinte ordem:
          Episódio IV
          Episódio V
          Episódio I
          Episódio II
          Episódio III
          Rogue One
          Episódio VI
          Episódio VII

          Eu considero a melhor de todas as ordens. Estou torcendo para você gostar, meu amigo!

  • Estephano

    Ótimo Texto, Victor.
    Eu acho esse filme horroroso, atuações, roteiro, edição, direção… É o pior de todos com certeza, e olha que o Ep. II faz força para ser ruim também, viu. O moleque que fez o Anakin ficou tão traumatizado com as zoeiras que até desistiu de ser ator. Kkkkk
    Engraçado que nesses prequels tem um monte de ator bom, mas não adiantou muita coisa.

    Acho que o ódio do Jar Jar é porque fizeram dele o símbolo dessa trilogia, com isso descontaram tudo nele. rs

    • Muito obrigado, Estephano!
      Eu adorava ele quando era pequeno, mas hoje reconheço todas essas falhas. Também o acho horroroso, o 2 é sofrível também, só assisto nas minhas maratonas porque são cânones, então… kkkkkk

      Tadinho do Jake Lloyd, o moleque surtou depois de tudo isso. Virou delinquente, foi preso e o caralho a quatro.
      Jar Jar, com certeza, é o símbolo dessa trilogia. Ah, eu amo com todas as minhas forças o episódio 3! kkkkkk

      • Estephano

        Tem um negócio desse filme, que guardo com muito carinho. Quando eu era mais novo, eu tinha um N64 com um jogo de corrida desse filme, joguei muuuito tempo ele.
        É um jogo que explora o universo SW de uma forma bem legal, tem diversas raças e planetas, além de ser um jogo divertidíssimo.
        Você chegou a conhecer esse jogo?

        • CARALHOOOOOWWWW
          Não conhecia, Estephano. Achei SENSACIONAL!!!
          Quem nunca quis participar de uma corrida de Pods??? kkkkk

          Me deu uma puta nostalgia esses gráficos horríveis kkkkkk
          (Embora eu nunca tivesse jogado N64, o gráfico não perde pra outros posteriores a ele kkkk)

  • Herbie: The Love Bug

    Excelente, Jipeiro.
    Legal você ter detalhado os bastidores do filme. Isso explica muita coisa kkkk

    • Muito obrigado, Herbie!
      Sim kkkkkk

      • Herbie: The Love Bug

        Relaxa que eu vou ler sua fic do Homi Animal (parece nome de traveco isso), mas com paciência kkkk

        • Faz igual o Death, lê em prestações… kkkkkkkkkk

          • Herbie: The Love Bug

            Agora a crítica de Herbie: Meu Fusca Flopado não precisa ser em prestações.
            Zoas, mas leia saporra quando puder e meta o pau nesse filme lixo.

          • Vou ler agora, seu pau no cu. Pera.

          • Herbie: The Love Bug

            Correção: Seu carburador no cu.

          • Dave Mustaine Kryptoniano

            Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk voce tem uns parafusos soltos.

          • Herbie: The Love Bug

            Eu sou um Fusca sem vergonha. Sou “véio” mas peguei duas carrinhas, ao contrário de vocês.

          • Dave Mustaine Kryptoniano

            Kkkkk fusquinha pegador

  • Aragorn II, King of Gondor

    ”And the Framboesa goes to…”

    Mano, é triste que esse filme seja tão sofrível perto dos outros. Sério, é absurdo como um capítulo tão importante, de uma franquia tão consagrada, sofreu tanto nas mãos de seu próprio CRIADOR…
    Aliás, apesar do Qui-Gon ser um dos poucos pontos positivos do longa, sinceramente, ele é um cara que não faz a menor diferença para a franquia no geral. TUDO, absolutamente TUDO que ele fez podia ter sido feito por um jovem Obi-Wan. Aliás, a ameaça do Maul teria sido bem maior se tivéssemos apenas um jedi para confrontá-lo nos embates, desde o começo… ao menos na minha opinião, claro.
    Por falar no vilão… ok, o Darth Maul não foi lá grande coisa nesse filme. Mas, cacete, que cagada que foi matar ele logo de cara. Ele tem um visual DO CARALHO, além do famoso sabre duplo, entre outras coisas. Sério, deviam ter mantido ele ao invés de inventar General Grievous e todo o resto do elenco de vilões descartáveis da trilogia. Pra mim, só ele e o Sidious davam conta… não acha?

    Bom, pelo menos, como pontos positivos, dá pra destacar a luta final, que foi fodástica… rsrs!!

    Outro ponto triste sobre esse filme é que a qualidade dele conseguiu traumatizar o Lloyd pra sempre, né? Kkkkkkkkk!!

    Enfim… ótimo post, seu Gungan!

    • cleber

      Qui-Gon estava ali para continuar as lições de moral pedantes. E o pouco de dignidade que o personagem tem se deve a Lian Nesson. Pois o Lucas é um cara que estacionou nos anos 80. Ele não esperava por Matrix, ele não esperava por Clube da Luta ou Quero Ser John Malcovich. Alias, acho que se o Charlie Kaufman contasse a ideia desse filme para o Lucas, ele provavelmente diria que aquele cara é maluco.

      Esse Lucas mesmo. A mesma pessoa que depois de mostrar o primeiro corte do SW pra amigos como Coppola, Scorcese e Spielberg. E que depois riram da cara dele no restaurante (história épica). Ele ficou pra tras no tempo e foi ultrapassado por promessas que mudaram a cara do cinema americano. Como aquele pessoal do restaurante fez nos anos 70 com a velha guarda de Hollywood. Eles foram ultrapassados por moleques que hoje em dia viraram mulher e que outro que o sobrenome é Jonze. Que parece nome de planeta daquela galaxia nem tão distante.

      • Aragorn II, King of Gondor

        Sim…. ele é o personagem ”sábio” do filme. Um jovem Obi-Wan não conseguiria dar conselhos tão profundos por ser inexperiente, mas… o Lucas definitivamente não soube trabalhar ele.

        É exatamente o que você disse: o Lucas estacionou nos anos 80. E a comparação que voce fez foi fantástica. Exatamente…. o Lucas foi ultrapassado. Ainda bem que a Saga não está mais nas mãos dele. Os fãs agradecem… rsrs!

    • “… Star Wars: Episode I”

      Mano, essa porra é sofrível mesmo. Puta que pariu. Difícil entender como eu gostava dessa merda quando era pequeno.
      Concordo, se fosse só o Obi-Wan ali, além de não fazer diferença, seria bem melhor.

      O Maul é um merdão. Visualmente atraente e estiloso, mas só. Sei que o personagem é foda no universo expandido, mas aqui ele é um merdão. Sacanagem “matar” ele logo de cara mesmo. Aliás… viu a cena da morte dele em Rebels? Em uma luta contra o velho Obi-Wan (com feições de Alec Guinness) em Tatooine? SENSACIONAL E ARREPIANTE. Temos até menções ao Luke. Foda demais.

      Tadinho do Lloyd. Lucas acabou com a vida do moleque, coitado kkkkkkkkkkk

      Muito obrigado, seu Ewok! kkkkkk

      “Sério, é absurdo como um capítulo tão importante, de uma franquia tão consagrada, sofreu tanto nas mãos de seu próprio CRIADOR…”
      Perfeito. É bem isso mesmo.

      • Aragorn II, King of Gondor

        Ah, gostar dessa porra quando criança é compreensível. Tem ”’monstros”’, tem sabres de luz, e tem um molequinho! Rsrs…
        Por falar no Obi-Wan…. até pouco tempo atrás eu podia JURAR que não era o Ewan McGregor que fazia esse filme. Sério. Não sei o motivo, mas eu nunca me toquei que era ele – provavelmente por causa do cabelo… kkkkkk! Jurava que era um ”ator teen genérico”… 😛

        Mas, meo, ”visualmente atraente e estiloso” também é o que o Vader era no Episódio IV! Só que ele tinha mais destaque, e o Obi-Wan tinha uma relação com ele, o que deixava tudo mais interessante. Mas, ao meu ver, ele só começa a ficar mais profundo mesmo no Episódio V. ALI ele é um dos maiores vilões da Cultura Pop. Antes disso ele era tipo o Maul…. um visual fodão. Só que ele estava num filme BOM! Kkkkkkk!
        Sim! O Lucas CAGOU no personagem no filme, e eles transformaram o cara num dos personagens mais legais do Universo Expandido. Impressionante… e… sim, EU VI! Mano, só por causa dessa cena, eu senti vontade de assistir Rebels. Será que é bom mermo? Ou muito infantil? Porque aquela cena foi de arrepiar!!

        Pois é… PORRA, LUCAS! Kkkkkkkkkkkk!

        • Sério? É o Ewan sim, seu porra desatento! kkkkkkkkkk

          Mano, pior que é verdade. É meio dificil admitir isso, mas é verdade. Vader era mó merdão no ep4. Ficou foda a partir do 5. Caralho, preciso beber alguma coisa pra tentar apagar isso de minha memória.

          Mano, não sei. Dizem que não é muito infantil, embora seja pra crianças. Eu tenho vontade de ver, mas a preguiça me impede kkkkkkkkkkk

          • Aragorn II, King of Gondor

            Sim, meo. Eu preciso de óculos de grau… kkkkkkk!

            Pois é. Se o Lucas não tivesse cagado, o Maul podia ter ao menos METADE da popularidade do Vader, e ser quase tão bom quanto…
            Se vai beber algo pra esquecer, sugiro Leite Azul. Era a única coisa que tinha em Tatooine, e fez o Obi-Wan esquecer do R2 e de mais uma caralhada de coisas… hauahauhauahaua!

            Mano, nem me fale. Eu quase precisei me amarrar numa cadeira para começar a assistir GoT (me apaixonei depois, é verdade, mas começar é foda…. kkkkkkk!). E o foda é que Rebels já tem algumas temporadas… dá um baita desânimo. Por isso é bom começar a ver esse tipo de coisa no começo.

          • Concordo. O potencial era gigantesco.

            kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
            Genial. Leite azul deve ajudar… kkkkkkkkk

            Eu não consigo assistir mais nada com mais de duas temporadas prontas. Eu devo ser o cara mais desanimado com séries do mundo kkkkkkkkkkk
            Se eu não pegar essa nova série em live-action de Star Wars que a Disney vai produzir do começo, acredito que nunca assista…

  • cleber

    As pessoas até hoje se perguntam o que aconteceu com esse filme pra dar tão errado.

    Eu estava lá e vi com meus próprios olhos. E o que aconteceu foi Matrix. Esse filme aconteceu em 1999.

    • Será?
      Ainda acho que A Ameaça Fantasma se ferrou por conta própria kkkkkkkkkk

      • cleber

        Sim, foram varios motivos. Mas se não me engano Matrix estreou em abril e ja virou uma febre. E quando Star Wars saiu as pessoas não ligaram tanto. Quer dizer, ligaram né. Pois como vc disse era a volta de uma saga muito querida. Mas é lógico que não tinha esse hate todo como hoje. Alias, na época muitos já achavam o filme uma porcaria mas era meio que proibido vc falar disso. Até pq ninguém imaginava que depois ele estragaria ainda mais no ep 2 e 3.

        Como alguém disse aqui. O maior erro dele pra mim foi ter assumido tudo. Era pra ele ter ficado como uma espécie de Kevin Feige de SW e chamado ou diretores renomados ou jovens talentos. Por isso eu citei essa nova galera que surgiu nos anos 90.

        Só que se não me engano ele já declarou que “se for pra estragar, o responsável vai ser só eu.”

        • Isso explica muita coisa.
          Isso existe até hoje. Não se pode falar mal dos filmes que você não gosta. Eu detestei algumas coisas no ep7, mas tive que me segurar, senão seria trucidado.

          Seria perfeito se fosse assim. Serviria apenas como consultor e organizador. Mas, infelizmente, não foi assim.

          Lucas é foda… kkkkkkkkkkkkkk

  • cleber

    E esse senado parece o nosso. Muito passivo.

    • Essa referência é manjada! kkkkkkkk
      Viu que os esqueletos do T-800 aparecem em Tatooine também?

      • cleber

        Não cara, essa não sabia. Eu lembro que numa das primeiras tomadas de Naboo a Millenium Falcon aparece em um hangar.

        • CARALHO!!!
          Isso é no ep1???
          Nunca tinha visto. Confesso que explodiu minha cabeça kkkkkkkkkkk

    • Estephano

      E esse senado parece o nosso. Muito passivo.

      PQP! KKKKKKKKKK
      Pior que tem umas raças de alienígenas ai que até fisicamente parecem com uns caras que tem lá em Brasilia mesmo. kkk

  • Revi hoje. Eu vi esse filme no cinema. Lembro que fomos andando do Terminal de Niterói até o extinto cinema de Icaraí, e um monte de gente fazia o mesmo. As filas davam voltas nas ruas ao redor. Um monte de gente fantasiada de jedi, com sabre de luz na mão. Realmente é bem mais fraco se comparado aos demais. O George Lucas nunca foi um bom diretor. Tem as ideias, criou o universo de Star Wars, mas provavelmente teria sido muito melhor se ele tivesse deixado a direção para outra pessoa e ao menos tivesse tido auxílio no roteiro.

    • A galera surtou. E, porra, não é para menos… quase 20 anos sem Star Wars nos cinemas, depois de três grandes filmes.
      Ele nunca foi dos mais talentosos diretores mesmo, mas no sentido de criatividade, o cara era um gênio!!!
      Também acho que faltou alguém auxiliando ele nos roteiros aqui.

  • Dave Mustaine Kryptoniano

    Mais uma ótima crítica seu Jar Jar,foi mal a demora.

    A Ameaça Fantasma é indiscutivelmente o pior filme de toda a franquia. O enredo realmente não empolga,essa trama política é bem desinteressante e um tanto quanto confusa mesmo,sobre os personagens eu vou ter que discordar quanto ao Qui-Gon,acho ele um personagem bem foda e foi um papel que acabou marcando na filmografia do Liam Neeson,já Anakin,Obi-Wan,Padmé,Mace Windu,etc realmente são sem graça,mas melhoram nas sequencias. Esse negócio dos Mid-Chlorians foi uma porcaria,acho que essas explicações cientificas mirabolantes são tão desnecessárias,esse negócio do C-3PO ter sido criado pelo próprio Anakin eu nunca vi como um problema,mas agora eu vejo: porque que o C-3PO não menciona isso em momento algum durante a trilogia clássica? Acabou gerando um errinho de continuidade aí. Outra coisa que me incomoda muito é a diferença de idade entre o Anakin e a Padme,nesse primeiro filme ela é bem mais velha que ele,aí chega no segundo,dá um salto no tempo,escala um novo ator pra interpretar o Anakin mais velho,e a Padme continua a mesma. Darth Maul voce falou tudo,o personagem chegou com tudo com seu visual fodástico,mas é tão mal trabalhado,tão descartável. E o que falar de Jar Jar Binks? Melhor personagem da história kkkkk

    Mas de coisas boas,eu gosto da cena da corrida de pods e da sequencia da batalha final do Qui-Gon e Obi-Wan vs Darth Maul,a trilha sonora daquela cena é sensacional!

    • Aragorn II, King of Gondor

      Sobre a diferença entre a Padmé e o Anakin…

      O erro do Lucas foi ter contratado a Nathalie Portman logo no primeiro filme. Porque os personagens em si tem uma diferença pequena de idade: a Padmé teria uns 14, e o Anakin, 10. Mas contrataram uma atriz de 19 para fazer ela… e a diferença acaba parecendo bem maior do que realmente é.

      O ideal teria sido uma outra atriz nesse primeiro filme, ao meu ver. Aí tanto Anakin quanto Padmé teriam outros intérpretes no que vem depois. Mas o Episódio I em si já é tão cagado que eu nem me incomodo tanto com isso… kkkkkk!

      • Dave Mustaine Kryptoniano

        Pois é cara,eu também acho que o ideal seria contratar a Natalie Portman só no Episódio II junto com o Hayden Christensen,mas agora já foi…

      • Erro mesmo foi escalar o Jake Lloyd. Acho que dava pra ter pegado o Christensen logo de cara e colocado uma maquiagem só pra disfarçar e ele parecer mais novo. Eu considero uma das grandes cagadas dessa trilogia essa mudança de atores.

        • Aragorn II, King of Gondor

          Vish, sei lá… kkkkk! Mas pior que, pensando assim, acho que teria sido bem melhor se o Anakin tivesse começado a saga mais velho. Tipo, com uns 13, 14 anos, sei lá. Em suma, adolescente mesmo. Ia ficar menos forçado, e daria pra meter o Christensen logo de cara, além de ajudar com a questão dele ser ”velho demais”, como disse o Yoda, além e deixar mais críveis os talentos exagerados dele.
          Só que… ia ficar menos apelativo pras criancinhas, e acho que isso é sinônimo de menos dinheiro. Ou seja: nem em um milhão de anos o Lucas faria algo do tipo… kkkkkk!

          • Concordo demais. Anakin adolescente seria mais fácil de engolir.
            kkkkkkkkkkkkkkkk pois é.

    • Muito obrigado, seu cocozinho!
      Bem, o C-3PO não comenta nada na trilogia clássica porque ele é reprogramado ao final do episódio 3. Eles apagam toda a sua “memória” do sistema, e resetam ele. Pelo menos aí não teve erro! kkkkk

      Concordo. Foi cagada do Lucas colocar essa diferença de idade entre os personagens. Mas é a Natalie Portman, né? kkkkkk. Ela parece uma vampira, nem na vida real envelhece.

      Eu gosto da cena dos pods também. Considero ela a mais marcante do filme. E, mano, eu comentei com o Aragorn… acho a luta final entre Qui-Gon, Obi-Wan e Darth Maul um porre.

      • Dave Mustaine Kryptoniano

        Ops,não lembrava dessa parte sobre o C-3PO ser reprogramado kkkk

        Pourra,como você consegue não gostar daquela cena de luta?

  • Aragorn II, King of Gondor

    Não é a toa que exploram tanto eles no Universo Expandido… potencial DEMAIS!

    Kkkkkkkkkkkk!

    Porra, meo, tua preguiça tá pior que a minha! Huahuahauahaua… mas sei como é. É preciso coragem e determinação para caralho pra assistir algo que já tem várias temporadas. Eu também vivo procrastinando várias séries que tenho a obrigação de ver… :/

    DUVIDO! Mesmo que tu fique congelado em carbonita por 15 anos e volte quando a série já tiver 10 temporadas, tu assiste tudo numa sentada só, porque você gosta pra caralho dessa porra… kkkkk!

    • O que não fazemos por um produto que tanto amamos… kkkkkkkkk