A primeira equipe de super-heróis dos quadrinhos norte-americanos foi publicada pela DC Comics em 1940, durante a Era de Ouro da nona arte: a Sociedade da Justiça da América, ou apenas Sociedade da Justiça. Criado por Gardner Fox, o grupo contava com a participação das versões originais de Flash (o nosso “Joel Ciclone”) e Lanterna Verde (Alan Scott) e de outros personagens menores da editora, como Sandman e Homem-Hora. Nas duas décadas seguintes, em especial a partir do final da Segunda Guerra Mundial, as histórias de super-heróis foram perdendo popularidade e espaço entre o público, e quase conheceram seu fim. Somente nos últimos cinco anos da década de 1950 é que vários personagens da editora começaram a sofrer reformulações em suas origens e histórias, e o ano de 1960 seria o primeiro passo de uma década que cravaria para sempre os super-heróis das histórias em quadrinhos no imaginário do público.

A DC Comics pediu a Fox que reintroduzisse o grupo nos quadrinhos, e o escritor, inspirado pela popularidade das ligas de baseball e futebol americano, alterou o nome da equipe para Liga da Justiça da América. Tendo estreado em The Brave and the Bold #28, de 1960, e recebido uma revista solo pouco depois, rapidamente o grupo transformou-se em um dos títulos mais populares da editora. Flash (Barry Allen), Lanterna Verde (Hal Jordan), Mulher-Maravilha, Aquaman e Caçador de Marte fundaram a superequipe – e por decisão editorial, Superman e Batman também participaram, compondo os sete membros fundadores originais. Adaptações de sucesso para outras mídias vieram no decorrer dos anos, mas a história da equipe nos cinemas nunca saiu do lugar, com projetos recentes cancelados no meio do caminho, até que hoje, 47 anos depois, finalmente chega aos cinemas o primeiro filme da Liga da Justiça, dirigido por Zack Snyder.

O enredo é simples. O mundo está sem esperança desde a morte do Superman (Henry Cavill). Um vívido contraponto a esses tons cinzentos é feito na abertura do filme, com um terno vídeo do passado, que mostra crianças entrevistando o super-herói. A criminalidade parece aumentar a olhos vistos, bem como o desengano das pessoas diante de tudo que está acontecendo – uma sequência em câmera lenta ilustra esse ponto. Enquanto isso, os parademônios começam a surgir por toda a terra, inclusive em Gotham City, fazendo desaparecer inúmeras pessoas. As investigações de Bruce Wayne/Batman (Ben Affleck) levam o vigilante a se debruçar sobre as anotações de Lex Luthor (Jesse Eisenberg) acerca de uma poderosa ameaça alienígena, o Lobo da Estepe (Ciarán Hinds), que estaria atrás das caixas maternas que se encontram em nosso planeta. A necessidade de uma aliança de super-heróis se faz urgente. Com base nos arquivos de Luthor, vistos em Batman Vs Superman (2016), Bruce Wayne e Diana Prince/Mulher-Maravilha (Gal Gadot) partem em busca de três pessoas superpoderosas para um time que está sendo formado: Barry Allen/Flash (Ezra Miller), Arthur Curry/Aquaman (Jason Momoa) e Victor Stone/Ciborgue (Ray Fisher). E no meio do caminho, diante da ameaça representada pelo inimigo, a ressurreição do símbolo da esperança se fará necessária.

A interação entre os personagens é a melhor coisa de Liga da Justiça e o roteiro de Chris Terrio e Joss Whedon trabalha com talento toda essa dinâmica, que é absolutamente fundamental para o bom funcionamento de um filme de equipe. Já nos primeiros contatos – Batman com Flash e Aquaman, Mulher-Maravilha com Ciborgue – é evidente a química entre os atores, especialmente Ben Affleck com Gal Gadot e Ezra Miller… com todo mundo! As discordâncias iniciais são esperadas, com o “não” de Aquaman e Ciborgue e o “sim” do Flash – antes mesmo de ouvir a pergunta de Bruce Wayne, afinal, ele precisa de amigos… que não sejam muito lentos… –, mas a ameaça do Lobo da Estepe é poderosa demais para que qualquer um permaneça indiferente, e logo a Liga da Justiça está formada.

Ezra Miller rouba todas as cenas com o seu Flash incrivelmente hiperativo (como possivelmente seria um velocista que vê o mundo passar em câmera lenta ao seu redor) e feliz. Mas muito feliz. Muito mesmo. Barry Allen (que em nenhum momento é nomeado como Flash), ainda é um herói muito inexperiente, que só está acostumado a empurrar os outros e correr – e isso serve para justificar a sua utilização nos combates como o cara que simplesmente salva os civis, além de também render duas cenas hilárias com o Superman. Totalmente deslumbrado por estar ao lado do Batman e da Mulher-Maravilha, e dos outros dois novos companheiros, o humor de Barry Allen, e uma certa ingenuidade que exala nos olhares e expressões que faz, é o elo que conecta toda a equipe, servindo para retirar toneladas de sisudez do Batman, que se permite a certas ironias, e também deixar Diana Prince ainda mais solta, em um papel proeminente de liderança que não é sequer questionado pelos novos parceiros, em mais uma atuação segura da carismática Gal Gadot, que permanece idealista, corajosa e intensa como a Mulher-Maravilha.

O Aquaman não tem tanto espaço quanto se esperava, se resumindo a um personagem meio inconsequente e canastrão, uma espécie de rock star (que protagoniza a cena mais engraçada do filme, envolvendo o laço da verdade), com algumas boas participações em combate e o Ciborgue, apesar de sua importância para a história e do drama pessoal explorado no primeiro ato, permanece um pouco à parte dos demais super-heróis nas interações, ainda aprendendo sobre os seus poderes e aparentando agir mais por interesse pessoal do que propriamente por adesão ao grupo em si. E quando o Superman finalmente surge no clímax, depois de uma ressurreição que dá uma piscadela para aquele sonho apocalíptico de Bruce Wayne, temos tudo que se esperava do personagem nesse universo: esperançoso, poderoso e extremamente preocupado com a segurança das pessoas comuns.

A direção de Zack Snyder segue o seu já conhecido estilo visual, com uma busca constante por enquadramentos bonitos, normalmente panorâmicos, nos quais ele possa usar a câmera lenta, partindo sempre da (ou para) aceleração de uma cena. As sequências de ação são boas, embora repetitivas e sem uma grande cena a se destacar: o inimigo gigante e seus insetos gigantes voando para lá e para cá são combatidos com táticas compartilhadas de luta, nas quais basicamente um super-herói vai de cada vez atacá-lo – a exceção é o Flash, com a sua velocidade incrível e divertidas participações. A fotografia de Fabian Wagner segue as características dos filmes de Snyder, com muito sépia e tons azulados-cinzentos, mas com menos escuridão e mais claridade – mesmo o ato final, ainda acontecendo em um local repleto de explosões e destruição, avermelhado desta vez, se desenha visualmente compreensível em todos os seus espaços. A trilha sonora de Danny Elfman, que recicla temas clássicos dos personagens, pontua bem o clima aventureiro de Liga da Justiça, mas sem conseguir tornar-se marcante.

Há muita coisa acontecendo, e a edição sofre um pouco por causa disso, entregando um primeiro ato um tanto quanto desordenado e acelerado – alguns minutos a mais nessa ambientação talvez solucionassem o problema. Três novos heróis são apresentados com suas origens, coadjuvantes fazem participações, novas localidades (Atlantis e Central City) são pinceladas, um vilão (que não tem muito espaço para se destacar) é lançado na história querendo destruir a Terra e fazendo um elo com uma tentativa de invasão do passado que foi contida por uma aliança entre três povos (em um excelente flashback), o Superman precisa ressuscitar de alguma forma, e uma equipe é formada. No fim, decisões executivas por uma metragem menor à parte, o modo como a interação entre esses sete heróis é construída consegue suplantar os problemas de montagem, e Liga da Justiça apresenta-se como um filme divertido, com personagens carismáticos e cativantes (especialmente o Flash e a Mulher-Maravilha), com um tom esperançoso, e que abre novos, e bons, caminhos para o futuro do universo estendido da DC nos cinemas.

Liga da Justiça (Justice League) – EUA, 2017, cor, 120 minutos.
Direção: Zack Snyder. Roteiro: Chris Terrio e Joss Whedon. Música: Danny Elfman. Cinematografia: Fabian Wagner. Edição: David Brenner e Richard Pearson. Elenco: Ben Affleck, Henry Cavill, Gal Gadot, Ezra Miller, Jason Momoa, Ray Fisher, Jeremy Irons, Diane Lane, Connie Nielsen, Amy Adams, J.K. Simmons e Ciarán Hinds.

Compartilhe

Sobre o Autor

Rodrigo Oliveira

Católico. Desenvolvedor de eBooks. Um apaixonado por cinema – em especial por western – e literatura. Fã do Surfista Prateado e aficionado pelas obras de Akira Kurosawa, G. K. Chesterton, John Ford, John Wayne e Joseph Ratzinger.

  • Felipe Pinheiro

    Boa crítica Rodrigo. Fico feliz por você ter gostado do filme e por ver pela sua crítica e pelas outras que eu li em como eles conseguiram acertar com os heróis, levando em conta ainda que nem todos tiveram seus filmes soloo. Vou assistir esse sábado e espero gostar também e tô muito ansioso para ver o “rebirth” do superman como o símbolo clássico de esperança e otimismo que ele sempre foi

    • Valeu. Felizmente acertaram muito nos heróis, especialmente na interação entre eles – e isso era essencial. Espero que você goste

      • Felipe Pinheiro

        Eu também. Sabado a noite eu digo minhas impressões

    • Dave Mustaine Asgaardiano

      Você por aqui?

      • Felipe Pinheiro

        Eu sim Dave rsrsrs. Conheci o site a um tempo já mas ando um pouco desanimado de frequentar os sites e comentar nos posts. Aos poucos to tentando recuperar isso

        • Dave Mustaine Asgaardiano

          Acontece :/

        • Ghostface

          Já aconteceu isso VÁRIAS vezes comigo.

      • Não… é o Jô Soares, sua piranha.

        • Dave Mustaine Asgaardiano

          Vai cagar no mato em slow motion,zé do filtro escuro

  • cleber

    Ué, o Jiperiro tava emocionado demais para escrever? rss

    • Atrasado (já que só vi o filme ontem) e decepcionado demais… kkkk

      • Dave Mustaine Asgaardiano

        O filme não foi sombrio e realista do jeito que você gosta? Rs.

        • Na verdade… o filme não tem os personagens que eu aprendi a gostar.

          • Dave Mustaine Asgaardiano

            Até agora,você foi a primeira pessoa que eu vi dizer isso.
            O que achou do Thor:Ragnarok?

          • Não vi Thor 3 kkkkkk

          • Dave Mustaine Asgaardiano

            Putz kkk pra mim foi o melhor filme de herói do ano,e um dos melhores de todo o MCU,perde só pra Soldado Invernal e Guerra Civil

          • Não lembro de ter te perguntado nada.

          • Dave Mustaine Asgaardiano

            Azar o seu. A conta é minha e eu comento o que eu quero. Agora para de salvar a Martha e vai continuar o especial de Star Wars mané

          • Vai se fuder, seu babaca

          • Dave Mustaine Asgaardiano

            Vai fuder a si mesmo arrombado

          • Quando assistir o filme, volta aqui e leia meu comentário lá em cima. Vai entender o que quero dizer.

          • Dave Mustaine Asgaardiano

            Beleza.

      • cleber

        Foi uma brincadeira mas achei que seria vc que faria a critica. O que nada impede de mais pra frente tu escrever algo sobre ele.

        • Eu comecei um rascunho. Mas acho que não vou levar adiante. Acha que compensa eu fazer realmente uma crítica do filme? Vou falar muitas coisas ruins dele kkkk

          • cleber

            Ah, não critica do filme. Mas uma critica aos problemas, mudança de rumo no meio de uma produção. Interferencia demais dos estudios em cima do trabalho em um set. Tu pode citar outros filmes que passaram por coisa parecida.

            Se quiser eu te ajudo! Podemos colocar como exemplo recente A Mumia e Rogue One. Eu não sabia disso, mas li um comentario ontem que o roteirista e diretor Tony Gilroy que foi quem concluiu o Rogue. Sera que a Disney ficou com medo de despedir o Edward durante a pós-produção? Bom, se quiser leio uns artigos em ingles e preparamos o texto.

            Acho até legal pra mostrar como esses filmes, que são grandes demais. No final das contas são produtos. Envolvem muitas variaves, milhões em negocios. Atrasar um filme desse em um dia já motivo pra quebras de contratos, perda de dinheiro. Até as ações da empresa entram em jogo.

          • Pode ser! Topa fazer mesmo?

            Aliás… sabe o que isso me lembrou?? E aquele post nosso sobre adaptações que não envolviam super heróis (era isso mesmo)? Eu nem me recordava mais. Ainda quer fazê-lo também?

      • Ué, por que? o_O

        • Ah, Italo… é complicado demais. Como fã, não me senti representado.

  • Ghostface

    Excelente crítica Rodrigo!
    Gostei bastante do filme e ressalto o Flash que foi INCRÍVEL! A interação dele com TODOS foi acertada. Eu fiquei incomodado com, após a ressurreição do Super, eles terem deixado a Caixa Materna sem proteção alguma jogada em cima de um carro e toda a cena da ressurreição dele eu senti que afetou um pouco o ritmo da trama. Mas a cena dele contra a Liga foi demais! Adorei as cabeçadas.. kkkkkkkkkkkkkk. O Lobo da Estepe foi legalzinho, achei o GCI dele fraco em algumas cenas, principalmente quando os olhos dele “brilham” sei lá que coisa foi aquela. Mas o filme foi ótimo!

    • Valeu. Flash precisa de filme solo URGENTEMENTE!

      Eu achei a ressurreição dele bem anti-climática. Esperava que ele voltasse sozinho ou de outro maneira, e surgisse no ápice sem que nenhum outro herói esperasse por isso, em um momento em que parecessem não ter mais esperança. E ainda piscou para o pesadelo de BvS, com o Superman atacando todo mundo. E isso da caixa jogada de lado foi bem tosco.

      • Ghostface

        Concordo plenamente! QUERO NA MINHA MESA PARA HOJE, DONA WARNER! Kkkkkkkkkkkkk.

        Anti-climática, essa palavra que eu estava procurando. Se ele tivesse voltado desse jeito que você sugeriu, teria sido bem melhor. Eu fiquei me atanazando o resto da sessão inteira por causa da Caixa kkkkkkkkkkk.

  • Dave Mustaine Asgaardiano

    Ahhhhhhh,parece que eu só vou poder ver o filme no próximo final de semana,será a semana mais longa da minha vida,quero entrar em uma câmara de criogenia e ser descongelado só quando for ver o filme.
    E essa nota do Rotten hein? https://uploads.disquscdn.com/images/0af57e2b649eb20297e90817246c0c4d05c65a8c4985cc4fb5e97b2bf63f2e75.png

    Eu estranhei bastante isso,porque todas as críticas que eu vi até agora foram majoritariamente positivas (e não só opinião de fã não,de crítica séria mesmo),claro,todas salientam que o filme tem sim os seus problemas de montagem (maldita Warner) mas que no final o saldo é muito mais positivo que negativo. Tô começando à achar que a Marvel comprou o Rotten de verdade mesmo kkkk

    Ótimo texto meu amigo!

    • Valeu! A nota do Rotten (e não só nele, no Metacritic também) não me surpreende. O filme realmente tem problemas. Tivemos as refilmagens, que no fim das contas deixaram o filme com “caras” um pouco diferentes em alguns trechos, e ainda o corte, que devia ser de 2 horas já desde o começo, mas ao que parece só foi assim já perto do lançamento – e é mais do que provável que Snyder planejou um filme gigante de novo, né? Até participação de Iris West ia ter. Ou seja, a edição é problemática. Por que então esse filme tá sendo mais bem recebido pelo público do que Batman Vs Superman, que teve alguns problemas similares? Porque a interação do grupo funciona, você compra os personagens. O filme é divertido, engraçado, mais conciso, mais direto, não é pretensioso e com isso acaba atingindo uma parcela grande de pessoas que não gostou de BvS. Mas com os críticos, isso não faz diferença alguma.

      • Dave Mustaine Asgaardiano

        Então,mas o que todo mundo está dizendo é que,mesmo tendo os problemas de edição e montagem,não é algo grave como BvS,que esse como você falou,tem uma história mais concisa,mais coesa,dá pra curtir o filme sem precisar de DLC’s igual foi com BvS,é que como eu ainda não vi o filme fica difícil tirar conclusões,mas de acordo com o que eu estou ouvindo falar,me parece que essa nota baixíssima do Rotten é injusta.

        • Sim, mas quem gosta disso é o público…rs O fato da interação entre personagens funcionar torna o filme palatável para o público. E de quebra é engraçado, divertido, tem uma narrativa bem simplista, ou seja, um blockbuster como qualquer outro – só que com problemas sérios de edição, mão de dois diretores diferentes e um roteiro enxugado em excesso. Se não houver o interesse da pessoa por super-herói, a chance dela gostar menos desse filme que de outros me parece maior. Enfim. Se eu fosse dar nota, coisa que não gosto de fazer, daria no máximo um 6 – no Rotten tá 5.3. A diferença não é muito grande. Para os demais filmes de herói do ano, daria notas entre 7 e 7.5. Talvez no Rotten pudesse estar um pouco maior que 5.3, talvez pudessem ser menos rigorosos do que foram, penso que uma média 6, com uma aprovação maior, seria mais justo, mas acho que não fugiria muito disso no fim das contas.

          • Dave Mustaine Asgaardiano

            Novamente,tendo como base só o que eu ouvi por aí,me parece que o filme da Liga é tipo o Era de Ultron,um ótimo filme,ótimo entretenimento e ótimo divertimento,mas com problemas de edição e montagem que não são tão graves assim.

          • Vendo o filme você vai saber. Mas se fosse um filme do mesmo nível de Era de Ultron, estava com uma recepção melhor. Só que não é. É um bom filme, mas tá abaixo. Ideias megalomaníacas do Snyder (que o estúdio pelo visto só podou quando quase tudo tava feito), refilmagens com um diretor diferente e corte de 2h imposto pelos executivos realmente causaram problemas, Que, pra mim, não interferem na diversão, porque a interação de grupo (criada pelo roteiro) é excelente.

          • Rodrigo, sinceramente… tem muito dedo do estúdio ali. Esse filme não é do Zack Snyder.

          • Sei que você é muito fã dele, mas o filme é sim do Zack Snyder…rs Ou o plot do filme não é dele? A ideia da ressurreição do Super não é dele? Todo mundo que participou tem “culpa” nesse resultado final. Diretor, executivos e diretor contratado pra refilmagens. Temeram que Zack Snyder fizesse um novo BvS e por isso podaram o trabalho dele. Ora essa, que ele nem dirigisse a Liga, se era esse o caso. O erro começou aí, em deixar ele dirigir o filme mesmo sem ter confiança total no seu trabalho. Depois as refilmagens, que deixaram o filme com duas caras diferentes (que fica cada vez mais claro que NÃO aconteceram por causa da tragédia familiar dele).

          • A ressurreição do Super foi regravada. Uma das cenas que tiveram que apagar o bigode do Cavill.
            Sim, TODOS ali tem culpa, mas o maior culpado de todos foi o estúdio. 2H50m, seria outro filme gigante do Snyder. Tirar 50 minutos faz uma diferença danada.

            “Ora essa, que ele nem dirigisse a Liga, se era esse o caso. O erro começou aí, em deixar ele dirigir o filme mesmo sem ter confiança total no seu trabalho.”
            FALOU TUDO, RODRIGO!!! TUDO!

            Também acho que isso não tem nada a ver com a morte da filha dele. Já queriam tirá-lo há tempos.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Sério que limaram cinquenta minutos de filme? Aí fica difícil. Se foi mesmo assim, então foi um milagre o filme não ter sido um desastre.

          • Sim. Olha só esse vídeo, das cenas que apareceram NOS TRAILERS e não foram pro filme. Algumas são só ângulos diferentes ou complementos de cenas, mas fazem toda a diferença na dinamicidade.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Também senti falta de vários momentos do trailer, por exemplo:
            Ciborgue salvando um policial.
            Barry quebrado o vidro
            Ciborgue humano.
            Diálogo de Bruce e Diana.
            E etc.
            Se bem que muitos filmes sofrem cortes na edição final.

          • Cortes pequenos, uma cena ou outra. Não 50 minutos kkkkk

          • Nada supera Era Uma Vez na América, do mestre Sergio Leone, que a senhora Warner cortou 90 MINUTOS no lançamento nos EUA. Tiraram um filme de dentro de um filme.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Esses estúdios são uns açougueiros. A Marvel fez a mesma coisa em A Era de Ultron.

          • Sim, eu soube. E depois não querem críticas ruins.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            A luta final teria um Ultron gigante, mas a Marvel não quis gastar mais dinheiro, aí nós fomos presenteados com aquele final insosso:-(

          • Não queria gastar dinheiro? São os Vingadores, porra! Todo filme passa do bilhão. Não dá pra entender esses caras.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Pois é, vai entender…kkkkklkk

          • Puta que pariu kkkkkkkkkkkkkkk

          • Pois é…rs Dizem até que foi um dos motivos que apressaram a morte de Leone, que ficou desgostoso com isso. O filme foi massacrado quando lançado. Anos depois, a iniciativa de Scorsese e outros diretores, fez com que lançassem a versão do diretor em home video e o filme foi aclamado como um dos maiores filmes de máfia da história, ombreando com O Poderoso Chefão. E é um puta filme.

          • Warner era suja desde os tempos antigos kkkkk

          • Cadê o segundo uniforme do Flash que iria ter?

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Não sabia disso.

          • Bem, teria kkkkk
            Vulko, Iris West… e o Whedon mandou cortar o Darkseid.
            Triste.

          • Esses aí era pra cortar mesmo, sinceramente…rs Pra que Vulko e Iris no filme da Liga? Tinha que ter tido mais conteúdo no começo, já que a narrativa começa muito acelerada.

          • Serviriam mais como fanservices mesmo.
            Ah, mas não deveriam, em hipótese alguma, terem cortado tanta cena do Ciborgue. Snyder havia dito que ele seria o coração do filme.

          • Sim, exatamente material do começo. Eu estranhei bastante já começar com o Batman pegando um parademônio e “montando” a equipe. A sensação é que uns 15 minutos antes disso foram limados.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Porra!!!
            Ia ter o Darkseid no filme? Whedon, seu filho da mãe!!!

          • Sim, iria. Whedon é um filho da mãe mesmo! kkkkk

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Sacanagem do cacete:-(

          • cleber

            E aquela cena do Alfred conversando com alguem e falando sobre esperança? Ou ele ta presente quando ele ressucita?

          • Aquela cena foi cortada. Ninguém sabe o que aconteceu kkkk
            Não, Alfred tá na casa do Bruce na hora. Nem sabe de nada.

          • cleber

            Ah, então ai tem! Porra, o car ta falando algo como espero que não seja tarde e de esperança, kkk. Tava falando com quem ali?

          • Felipe Pinheiro

            É possivel que seja o superman e essa cena se passasse após a cena dele reencontrando a mãe e enquanto os outros herois estavam na batalha na Russia. Provavelmente ele ia lá encontra com o bruce antes de ir pra batalha. Mas resolveram retirar e mostra ele aparecendo direto lá onde tava rolando a treta

          • LÓGICO quer era com o Super! kkkkkkkkk

          • A ressurreição tem a cara do Snyder. E dialoga diretamente com o pesadelo de BvS. Pode ter tido parte regravada, mas a ideia dele voltar daquele jeito tem toda cara de ser dele.

            Erro do estúdio já começou lá atrás, quando ficou 3 anos produzindo BvS, sendo que nesse tempo podia ter feito 3 ou 4 filmes, do Superman, do Flash, e etc. Mas agora Inês é morta. O que me parece que será feito a partir de agora é muito filme solo, com conexão mínima.

          • Acho que nem teremos um Liga da Justiça 2, sinceramente.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Você tem alguma dúvida? Lógico que vai ter. Se Esquadrão Suicida arrecadou mais de 800 milhões, a Liga vai fazer, no mínimo, um bilhão ou mais.

          • A arrecadação está fraca nos EUA. Vamos torcer pra isso mudar.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Mas está ótima no resto do mundo. Aqui no Brasil, a Liga bateu o recorde de maior arrecadação em um dia.

          • Infelizmente não está ótima em vários lugares. Brasil é uma das exceções. As previsões otimistas hoje apontam para 800-900. Vai ser bem difícil fazer um bilhão se seguir como está.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Eu acredito na “marca” Liga da Justiça. Os personagens são muito chamativos. Vamos ver as próximas semanas.

          • Sabe o que sanaria essas nossas dúvidas?
            Uma versão DO DIRETOR desse filme, sem as regravações.
            Mas a Warner nunca vai lançar uma coisa dessas.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Acho que no máximo uma versão estendida.

          • Com 10 minutos a mais, igual a de Esquadrão Suicida kkkkkk

          • cleber

            Essa historia do bigode. Na boa… fiz a barba com gilete na quarta a noite, pra fazer uma entrevista de emprego na quinta e já esta bem grande. Em coisa de 7/10 dias ela ja fica cheia. Outra historia mau contada!

          • Mal contada mesmo. E ficou MUITO estranho o CGI sem bigode kkkkkkkk
            Principalmente na cena de abertura.

          • cleber

            https://pmcvariety.files.wordpress.com/2017/07/henry-cavill.png?w=700&h=393&crop=1

            Porra mano! Se não me engano é esse o visual dele no MI-6. Ah, sério mesmo que não dava pra raspar? Olha… não sou muito bonito, mas sempre escutei elogios sobre a minha barba. Até de homem! kkkk. Até mesmo numa época que nem era moda eu já usava e tal e como falei antes, em 10/15 dias ela já ficava enorme e bem cheia. Então acho que depende de pessoa pra pessoa pq não é possivel os caras não deixarem.

            Acho que rolou mesmo foi coisa de ego entre estudios, empresarios e etc. De eles acharem mau planejamento da WB e não ceder.

          • Também acho que dava. Mano… era só colocar a porra de um bigode falso. Custaria o quê? 50 dólares, no máximo?
            A Warner gastou milhões pra tirar o bigode em CGI, e ainda ficou tosco pra caralho kkkkkkk

    • Merecia menos.

      • Dave Mustaine Asgaardiano

        Porra,é incrível como você só dá sinal de vida quando é pra encher meu saco

      • Dave Mustaine Asgaardiano

        Ops,confundi o comentário kkkk mas vale do mesmo jeito

  • Excelente crítica, @alordesh:disqus!
    Amei esse filme, mesmo tendo algumas falhas, mas nada que atrapalhe verdadeiramente a experiência.
    E eu acho que as críticas no RT foram bem injustas.

    • Valeu. O filme é realmente bem divertido. Felizmente a interação do grupo consegue suplantar os eventuais problemas.

  • Excelente crítica, Rodrigo!
    Eu ainda vou assistir o filme.

  • Max Eisenhardt

    Ótima crítica, Rodrigo! Como sempre, muito prazerosa de ler. Consiste exatamente no que eu já estava esperando do filme desde o ano passado. Assistirei sabendo muito bem o que esperar, então provavelmente não irei me decepcionar. E o que mais me deixa empolgado é o Super. Tão dizendo que a caracterização dele está perfeita agora, e é justamente isso que eu mais aguardava. Parece que dei muita sorte dessa vez. (rs)

  • Aragorn II, King of Gondor

    Ótima crítica, Rodrigo. Eu realmente adorei o filme. Alguns defeitos dele acabaram me incomodando, mas tudo flui de forma tão divertida e natural que é fácil ignorá-los. O Flash realmente é o destaque – esperava algo do tipo do Ezra Miller, o cara é demais!
    Sinceramente, adorei todos os personagens. A vontade que dá é ver um episódio deles toda semana, como na série animada. Espero que a Warner não tarde em fazer o segundo, mas tudo deve depender dos resultados desse filme. Torcendo!

    • Valeu. O Flash mostrou o erro que foi ainda não terem feito filme solo dele. Um filme dele entrava fácil no lugar de um SS ou mesmo de BvS, que pelo tempo de produção que teve podia ter dado lugar a uns 3 filmes.

      Infelizmente as aberturas não estão promissoras em vários lugares, especialmente nos EUA, que é o mais importante. É torcer para que recupere no decorrer das semanas. Mas eu estou achando que eles vão dar um tempo longo de filmes de equipe. Dificilmente veremos Liga 2 em breve, se é que veremos.

  • Pedro, o Homem Sem Medo

    Crítica sensacional, meu amigo.
    A Mulher Maravilha, pelo visto, colocou a DC de volta aos trilhos. Fico feliz que a Liga da Justiça seguiu por esse caminho. Gostei bastante do filme. E, como você disse, a interação dos personagens é ótima.

    • A interação entre os personagens é uma das poucas coisas boas do filme.

      • Pedro, o Homem Sem Medo

        Uma das poucas? Ah, eu discordo, cara. O filme tem bastante acertos. O Superman, a Maravilhosa e etc. O filme teve vários pontos altos.

        • A cena de liderança do Superman, a interação entre os personagens, a cena do banco da Mulher-Maravilha… acho que são as coisas boas que me recordo agora. O resto, difícil de engolir 🙁

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            A chegada do Lobo da Estepe em Themyscira foi sensacional. Gostei demais das amazonas enfrentando o cara.

          • Também gostei dessa cena.

    • Valeu, meu amigo. É esperar que Mulher-Maravilha seja o exemplo a guiar os próximos filmes…rs E que venham mais bons filmes da DC – e de personagens diferentes.

    • Eu também curti demais o filme, senti que foi na medida certa … Superman então, foi um show à parte, finalmente o cara se transformou no herói que todo mundo conhece.

      • Pedro, o Homem Sem Medo

        Já não era sem tempo…kkkk
        Realmente, Ítalo, o Super foi o ponto alto do filme, junto com a Maravilhosa, que é… Maravilhosa!!!

  • Matt The Radar Technician

    Vou deixar pra ler a crítica depois de ver o filme, o que infelizmente não sei quando vai acontecer 🙁

    Peguei o bendito rotavírus (sim, tô doente de novo porque o universo não gosta muito de mim) e não tô conseguindo ficar nem 30 minutos no PC sem ficar exausta e isso é um saco porque tô perdendo todas as brigas 🙁

    Enfim, como já disse, não tô com um pingo de esperança, mas a presença de Diana vai me empurrar pro cinema eventualmente. Espero que seja uma experiência legal.

    E desculpa o mau humor hehe.

    • Débora, podemos dar as mãos, porque eu também sigo doente e com alguns problemas que ainda nem identifiquei quais são…kkkkkkkkkkk Terça agora já vou em outra médica ver se investigo mais coisas.

      Bem, espero que goste do filme, mas tá bem abaixo de Mulher-Maravilha. É bem menos redondo.

      • Matt The Radar Technician

        Poxa Rodrigo, já descobriu o que é? Espero que você fique bem logo.

        Ainda tô aqui esperando melhorar pra ver JL. Tô triste que não posso participar das discussões 🙁

        • Ainda naqueles problemas de antes. Parte deles a médica acha que é psicossomático. E essa semana andei gripado, com febre.

  • Ótimo texto, Rodrigo! Assisti ao filme ontem e não saí muito feliz da sessão.
    Pontuou aspectos interessantes (e que precisam realmente serem ditos) na crítica. O Lobo da Estepe não tem desenvolvimento algum, está ali porque quer dominar o planeta e criar uma espécie de terraformação (segundo ele, para conseguir um lugar nobre entre os Novos Deuses). Só isso. Mais nada. Isso é decepcionante.

    Elogiou bastante o Flash, mas eu não consegui gostar tanto assim do personagem. Achei ele inseguro demais em certos momentos e a maioria das suas piadas engraçadas estavam nos trailers, e não consegui rir muito durante a sessão. Além da insegurança, achei o Barry, por mais que eu tenha a consciência que ele ainda é inexperiente, sem muita inteligência. Poxa, sua mente é tão veloz quanto suas pernas, deveria conseguir achar meios de ajudar com maior facilidade e não ficar com tanto medo (medo de insetos, medo de pessoas grandes, medo de água… ah, isso foi ridículo demais). Aquele não é o Barry. Não só em personalidade, já que particularmente gostei de colocarem ele para ser o alivio cômico do grupo (fazendo um paralelo com que o Wally é nas animações), mas acho que a essência do personagem se perdeu, e muito.

    Aquaman não é o Aquaman também, embora eu tenha gostado dessa visão para o personagem, só que chega uma hora que apenas músculos e frases legais não fazem do personagem alguém interessante. Também achei a Gal Gadot segura no papel, igual você salientou em seu texto, mas sua Mulher-Maravilha não mostra muita evolução. Além do fato de ser hipócrita ao criticar o Batman por não conseguir superar certas coisas. No fim, ela é uma personagem que solta frases de efeito legais e dá uns sorrisinhos para a câmera (com exceção da cena do banco – aquela deveria ter sido a Mulher-Maravilha do restante do filme).

    Gostei do Batman em certos momentos, como na cena inicial; um Morcego cheio de preparo e amedrontador. Isso não se perpetua ao longo de todo o filme. Não estou alegando que o personagem só sabe contar piadas (até porque, não conta muitas, embora a maioria de seus momentos tenha humor), mas, assim como o Flash, perdeu um pouco de sua identidade. Talvez seja essa troca de diretores e visões que o filme teve.

    O retorno do Superman foi uma das piores coisas que eu já vi na tela do cinema, no quesito adaptação. Tudo bem que o quadrinho não é grande coisa (eu não gosto muito), mas ele dá de 10 a 0 nesse retorno que o filme mostrou. Quebrou totalmente o clima – e não teve roupa preta nem mullet. Agora, o SUPERMAN que o filme mostrou após isso, foi de se admirar. Me lembrou o Super do Christopher Reeve em algum momento, um cara seguro que não via nem o mais poderoso inimigo como uma ameaça – o sorrisinho dele desviando do soco do Lobo da Estepe mostra isso. Olha, tem muito mais coisa pra se falar, mas esse comentário está ficando grande demais.

    Com spoilers, já que deixou de fora do seu texto, me diga… gostou da solução que arranjaram para trazer o Super de volta?
    Mais uma vez, ótimo texto, meu amigo!

    • Pedro, o Homem Sem Medo

      Sobre o Lobo da Estepe, eu concordo que ele não teve muito desenvolvimento, mas isso se deve a curta duração do longa (eu acho), então só restou ao roteiro dar mais espaço aos heróis e sua reunião, que é o objetivo final do filme.
      Quanto aos heróis, eu entendo a sua frustração com o Flash. Ele, definitivamente, é mais Wally do que Barry. E o Aquaman é o Momoa em pessoa.
      De resto, eu gostei bastante da Maravilhosa, do Morcego e do Superman.

      • Em toda história, independente de sua trama, os vilões têm que ser tão interessantes quanto os heróis; e Liga da Justiça, como a maioria das adaptações de quadrinhos, não obtém êxito nesse conceito básico, só que, por se tratar de uma das maiores – se não a maior – equipe de heróis dos quadrinhos, isso frustra até os fãs mais árduos e esperançosos (como eu).

        • Pedro, o Homem Sem Medo

          Isso é verdade, camarada. O gênero de filmes de heróis tem que parar de tratar seus vilões como pontes para os heróis. Assim como qualquer herói, os vilões são personagens, devendo ter a mesma atenção pelos roteiristas e diretores. O maior exemplo do ano é o filme Logan. Um filmaço, mas com a ideia preguiçosa de colocar um clone como vilão. Isso foi o cúmulo:-(

          • Concordo demais. Eu amei Logan, mas lembro até hoje da sua chateação com o vilão – e não é pra menos. Não sei se gosta de Batman: O Cavaleiro das Trevas do Nolan, mas esse é o melhor exemplo que existe. Sem o Ledger e seu texto MAGNÍFICO feito pelo Nolan, dando destaque ao Coringa, esse filme não seria metade do que é. Loki no primeiro Vingadores também. O que faz um bom herói é um bom vilão.

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Gosto demais da trilogia do Nolan, meu amigo. Nem sei quantas vezes eu assisti aos filmes. Realmente, o Nolan e o Ledger criaram um Coringa memorável, fato que não está se repetindo ultimamente. Tô começando a ficar com medo das adaptações do Darkseid e do Thanos.

          • Thanos vai ser épico. Está sendo construído desde que o MCU começou. A Marvel, aquela safada, não é boba. Embora não tenha vilões muito memoráveis no cinema, eu tenho certeza que o Thanos vai ARREBENTAR!

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Assim espero, porque em matéria de vilão a Marvel não tem muito critério…lkkkkkk

          • Ah… notou o Lobo da Estepe falando “por Darkseid” em um momento do filme? kkkkkk
            Meus olhos brilharam!

          • Pedro, o Homem Sem Medo

            Obviamente. E ele ainda citou os Novos Deuses:-)

          • Sim *-*

          • Só faltou Órion aparecer rapidamente pra dar um tapa na cara dele e se transportar de volta pra Nova Gênese kkk

          • Dave Mustaine Kryptoniano

            Olha,as pessoas criticam os vilões do UCM,mas os 3 filmes deles lançados esse ano só tiveram vilões bons.

          • Putinha

          • Dave Mustaine Kryptoniano

            Chupa rola do Snyder

          • Sou mesmo

    • Dave Mustaine Asgaardiano

      Seu comentário tem spoiler?

    • Valeu, meu amigo.

      Sim, aquele não é o Barry, mas desde o começo estava claro que não seria, né? rs Eu não vejo problema nesse tipo de mudança, e se tem um personagem da Liga que serviria perfeitamente para ser o alívio cômico e o cara inexperiente, era justamente ele. Lembra que lá atrás eu falei contigo da dificuldade que seria conciliar o Flash com outros super-heróis, exatamente por causa dos poderes absurdos? Pois bem, o resultado foi esse. Tiveram que deixá-lo bem retardado para justificar o seu “corre e empurra” e nada mais.

      Aquaman foi o que menos gostei – e já não gosto do personagem mesmo, então piorou. E não fez nada basicamente. Só serviu para a piada mais engraçada do filme…rs

      Batman é outro que ficou de lado. Eu gostei do Bruce Wayne. Acho que vimos muito mais dele do que do Batman. Na hora da ação, não tinha muito o que fazer com o personagem diante daquelas ameaças, e ele acabou sobrando. Sigo achando que é um personagem que combina zero com a Liga da Justiça.

      O retorno do Superman foi, como eu disse ao Ghostface, bem anti-climático. Lembro que havíamos teorizado várias coisas um tempo atrás. Tinha tanta saída. Usar a mesma coisa da criação do Apocalypse foi terrível. E também não gostei dele voltar “do mal” por alguns instantes. E aí depois ele simplesmente vai com Lois pra casa, e os demais vão enfrentar o Lobo sem ele, e pronto. Foi legal quando ele finalmente apareceu na luta, e acabou com ela em instantes. E achei interessante o vídeo das crianças que abre o filme.

      • RODRIGO… SEM FALAR QUE NÃO FALARAM ABSOLUTAMENTE NADA SOBRE O CLARK KENT TER VOLTADO DOS MORTOS!!! Como eles vão explicar isso?
        No filme ele voltou normal, como se nada tivesse acontecido. Caramba, que falta de profissionalismo dos encarregados.

        Agora vou ler o comentário kkkkk

        • Sinceramente, não faço a mínima ideia de como vão explicar isso do Clark Kent. E como só deve ter filme do Superman na próxima década, acho que não estão nem aí pra isso.

          • Acho que vão ignorar, como fizeram com várias coisas de BvS kkkkk

          • É, talvez o Flashpoint seja realmente um Flashpoint. Uma pena, porque queria um filme do Flash que adaptasse outra saga, não logo essa.

          • Flashpoint logo no primeiro filme. TÁ TUDO ERRADO NESSE UNIVERSO

      • Sim, desde o começo foi dito que aquele não seria o Barry. Mas nunca imaginei que iriam distanciar tanto da essência do personagem.

        Eu AMO o Aquaman, sem dúvida um dos meus heróis prediletos. Mas não vi nada de Arthur em tela. Não sabia que o Aquaman no cinema se chamaria Jason Momoa, o ator kkkkk

        Foi ridículo demais usarem a mesma desculpa que usaram pra trazer o Apocalypse à vida. Não seria muito mais interessante os personagens não terem NADA A VER com o retorno dele? E o personagem ressurgir por conta própria, usando e sendo abastecido pela energia solar? Seria foda.

        • E ainda ignoram a terra levantando do caixão em BvS…rs Ele devia ter voltado à vida sozinho. Depois explicava que na verdade não tava morto. E pronto. Na batalha, quando tudo parecesse perdido, ele apareceria e em segundos daria uma coça no Lobo.

          • Sim. IGNORARAM ISSO. Comentei com o Ghostface e com o Aragorn no whats. Tinha que ser algo relacionável entre um filme e outro.

            Tá vendo? Por isso que eu acho que esse retorno não foi ideia do Snyder. Lembra que o filme teria duas partes? Acho que ele voltaria só no segundo filme. Não faz sentido matá-lo pra ele ficar morto só 50 minutos. Tem algo de errado aí.

          • O filme teria duas partes acho que ainda antes de começarem a gravar, não? Enfim. Mudaram demais os planos de tudo no meio do caminho, isso é evidente.

          • Sim, teria. Mudaram isso no meio do caminho.

        • Dave Mustaine Kryptoniano

          Olha,vendo o filme eu fiquei de boas com o retorno do Superman,mas agora vendo essa conversa entre você e o Rodrigo eu percebi que realmente,dava pra fazer um negócio melhor.

          • Dava pra fazer um negócio BOM. Aquilo lá nem pode ser considerado ruim. É um insulto à palavra “ruim”.

    • Entendo seu ponto parceiro, de verdade, mas, já pensou que, para um filme de “origem de equipe” o vilão precisa ser o elemento que vai justificar a união do time? Tudo bem que não se compara com Loki no 1º filme dos Vingadores, mas ainda assim, Lobo da Estepe foi convincente olhando por esse ângulo.

      O lance com o Barry envolve ter a mente um pouquinho mais aberta para aceitar que essa é mais uma releitura do personagem. Admito que também estranhei a personalidade dele, o cara tava mais pra Wally West do que qualquer outra coisa. Do meio pro final é que comecei a curtir mais o cara até que aceitei essa nova versão … gostei dessa nova abordagem.

      A ressurreição do Super foi aceitável ao meu ver (na verdade soou mais como uma conveniência de roteiro, porém, uma conveniência bem sacada). Finalmente o cara virou o herói que todo mundo conhece e curti muito … confiante, determinado e otimista … é disso que a gente tava precisando.

      • Eu não achei nem um pouco convincente. Li sobre umas cenas deletadas do personagem… elas dariam muito mais profundidade a ele, mas infelizmente não estão no filme.

        Eu achei legal, mas as piadas foram forçadas demais. Tudo bem fazer essa releitura, mas deixar o personagem burro e cagão me deu muita raiva.

        Não, Italo. Foi jogada, isso sim. É como se não tivessem pensado e fizeram pelos côcos, de qualquer jeito. Eu não sou fã do retorno dele nos quadrinhos, mas pelo menos lá eles não tiveram medo de criar algo novo por trás. Uma conveniência de roteiro preguiçosa demais, ao meu ver, usar a caixa-materna.

    • Dave Mustaine Kryptoniano

      Porra cara,sério mesmo que você tá achando ruim o fato do Superman não ter aparecido de mullet e de uniforme preto? Ele foi trazido de volta da forma como ele tinha sido enterrado,você queria que aparecesse do nada um uniforme preto e um mullet?

  • Felipe Pinheiro

    Acabei de chegar en casa do cinema. Gostei bastante do filme. Nem de longe é o melhor filme de super-heróis já feito (TDK forever rsrs) ou até mesmo o melhor filme de herói desse ano (HA wins hehe) mas é um filme bem bacana e divertido de assistir.

    O CGI pra retirar o bigode do Cavill deixou realmente ele com um rosto bizarro em alguns momentos. Infelizmente isso não era uma questão de dinheiro mas de tempo, um trabalho desse pra ficar bom tem que fazer no começo da pós produção faltando ainda 1 ano pro filme estrear e não faltando 3-4 meses. O Lobo da Estepe é o tipico vilão clássico de quadrinhos: É mal porque sim e ponto com a profundidade de um pires (ou seja, ele é o Starro dos anos 60). Mas para um filme onde o principal desafio era reunir (e reunir bem feito) a Liga acho até “aceitável” esse tipo de vilão e felizmente achei o CGI dele bem melhor do que eu imaginava pelas criticas.

    A história é simples, direta e até certo ponto apressada, principalmente no início Ela também não tem a pretensão nenhuma de ser profunda e complexa: a unica pretensão nela é a de entregar um bom e divertido entreterimento, o que de fato ela faz, e por isso eu realmente acho que a critica não ta sendo justa com o filme.

    Os personagens e suas interações são sem duvida a melhor coisa do filme. Mulher Maravilha de novo excelente e sendo um verdadeiro simbolo de força e ternura. Gostei do Batman sendo bem mais um estrategista aqui (alias, ponto pro filme por não ficar lambendo as bolas do morcegão e forçando o “preparo” durante as batalhas) e da relação dele tanto com a Diana quanto também com o super no final do filme (um vislumbre dos Melhores do Mundo). E o “rebirth” do Superman nesse filme foi exatamente o que eu esperava: Pode ter sido errado ou desnecessário fazer esse arco do Superman no cinema em três filmes? pode ter sido (Embora eu goste muito de MoS e BvS) mas foi bom demais vê o Ultimo Filho de Krypton ressurgir como o farol de esperança e justiça que ele sempre foi nos quadrinhos

    Quanto aos outros três heróis; O Flash do Ezra Miller foi sensacional, um alivio cômico certeiro e bem carismático, além das cenas dele acessando a Speed Force serem simplesmente lindas. Que cumpram a promessa agora e “acelerem” o filme dele que já passou da hora. Ciborgue pra mim funcionou bem como uma figura mais “dramática” que faz contraponto ao próprio Flash mas que ao final do filme encontra sua própria leveza. E o Aquaman do Momoa foi o bad boy badass que eu esperava que fosse (e curtir muito isso), mas torço que no filme solo ele também mostre sua nobreza e pose de rei, senão ele só vai esta interpretando um Conan 2.0 (e a cena aquática foi foda também, que no filme solo também tenham muito mais dessas e melhores ainda). E o filme em si os apresentam e desenvolvem muito bem e deixa uma vontade de vê-los o quanto antes em seus próprios filmes

    As duas cenas pós-créditos não tem o que falar: são pra aquecer o coração nerd e deixar aquele gosto de “quero mais”. E por isso eu fico muito triste por o filme dificilmente conseguir alcançar a marca bilionária o que me deixa com o medo da Warner não só perder o interesse em fazer um Liga 2 como também dos executivos continuarem interferindo pesadamente nos próximos filmes. Mas bilheteria e criticas a parte, Liga da Justiça é um bom filme de super-herói: tem ação, aventura, personagens carismáticos e diversão pra todas as idades. Concordo com todos que dizem que o filme é como um episódio da série animada pois mesmo não sendo inspirada nela, o filme carrega esse espirito de esperança e otimismo que torna os super-heróis tão “supers” (principalmente pras crianças)

    • O vilão também foi uma das coisas que menos me incomodou, até porque a reunião da Liga e como eles funcionariam em grupo é que não podia ter erro. Ele podia ser melhor? Sem dúvida, mas na soma de tudo não foi das piores coisas.

      Eu acredito que não veremos Liga 2 tão cedo. Devem investir em filmes solos, com conexões mínimas entre eles. Pra mim não faz diferença, desde que os filmes seja bons…rs O que eu mais espero de todos, Shazam, eu realmente gostaria que não tivesse conexão alguma com os demais, que investissem naquele ar Era de Ouro clássico do universo do personagem e o deixassem à parte.

      • Felipe Pinheiro

        Se Liga 2 ainda estiver nos planos, com certeza só vai sair depois de Shazam, WW 2, Tropa dos Lanternas Verdes, The Batman, The Flash e Ciborgue (sim, ainda conto com o filme do Cirbogue), ou seja: no minimo vai ser pós-2021. Em Shazam eu acredito que a unica conexão será em referencia ao retorno do Superman e devem fazer ele uma espécie de “idolo” pro Billy (inclusive já especulam que uma das crianças que entrevistaram o super seria o Billy Batson. Como história eu acho que eles vão usar elementos da mini do Shazam do Geoff Johns nos Novos 52, o que pessoalmente pra mim não é um problema porque eu acho uma baita história, mas pessoalmente também eu espero que eles tragam um Billy mais puxado pra Era de Ouro mesmo, mais puro e mais ingenuo, do que a versão mais “cínica” dos Novos 52.

        • Ciborgue eu acho que não deve sair. Podiam fazer Novos Titãs no lugar, mas vamos ver. De Shazam eu realmente espero demais, nem acredito que esse filme vai sair. E como parece que vão usar o Dr. Silvana, acho que ao menos uma parte será mesmo puxada para aquela maluquice divertidíssima da Era de Ouro. Quem sabe não colocam até a Família Marvel na sequência, incluindo o Sr. Malhado? rs Só espero que não deixem de representar a Fawcett City como uma cidade com o wstilo dos anos 1950. Sempre que penso nela pros filmes, lembro da Hill Valley de De Volta Para o Futuro.

          • Felipe Pinheiro

            Verdade. Uma historia recente dele que eu gosto muito também é Shazam! E A Sociedade dos Monstros do Jeff Smith em que ele enfrenta o Sr. Cérebro, além de ter também o Silvana, o Sr. Malhado e a Mary. Como nessa não tem Adão Negro, pra mim seria uma boa se inspirarem um pouco nela também. Além dos protagonistas, já foi escalada um atriz pro filme. O papel não foi revelado ainda, mas já especulam que ela seria a Mary Marvel e as chamadas de elenco do filme também indicam que os outros irmão do Billy irão aparecer. Vamos esperar e vê como vai ser, se Sandberg fizer esse filme com o mesmo espirito das fotos que ele posta do trabalho então eu acho que vem coisa muito boa aí.

  • Chandler BING

    Ótima crítica meu caro amigo,como sempre!!
    Não é o filme que eu esperava,mas diverti bastante. A melhor coisa do filme é a relação do personagens. Flash e Superman foram pra min as melhores coisas do filme,Erza Miller prova que tem o suficiente para carregar um filme solo e Henry Cavill mostra que talvez possa supera a imagem do Cavill no cinema ou ao menos marcar a dele.
    Batman ficou bem de lado nesse filme,a presença não foi tão forte quanto eu imaginava; Mulher Maravilha mantém o ótimo carisma,mas não senti grande evolução da personagem desde seu filme solo;Aquaman se resume a ser o Jason momoa,apanha o filme todo e tem uma cena engraçada ; Já o Ciborgue pra min foi o ponto mais fraco do filme,tem um arco interessante,mas fica a par de todas as situações (Seu envolvimento com a caixa materna daria um ótimo plot). Lobo da estepe é um vilão terrível coberto de cgi e com uma motivação clichê. As cenas de ação são legais,mas nenhuma tão marcante e a trilha sonora vai entre nostalgia a falta de algo tão memorável quanto a Hans Zimmer..

    Mesmo sendo feito as pressas,liga foi legal…Mas fico a pensar que se talvez a DC tivesse ao menos estabelecido seus personagens em filmes solo,o resultado poderia ter sido mais “marcante”.

    • Valeu! Pois é, o filme podia ser bem melhor do que foi, mas divertiu. E a interação dos personagens é a melhor coisa mesmo. Uma pena que eu acho que não veremos continuação tão cedo.

      Com certeza se tivessem estabelecido os personagens em filmes solos seria melhor. Não era questão de copiar a Marvel, mas sim de fazer o óbvio. Confiaram demais na popularidade de parte desses personagens nas HQs (sendo que nos cinemas isso não quer dizer absolutamente nada). Nos três anos que levaram fazendo Batman Vs Superman, dava pra ter feito filme do Batman, do Flash e do Aquaman. E no lugar de Esquadrão Suicida, um Superman 2. Teria sido muito melhor.

  • Dave Mustaine Kryptoniano

    Finalmente assisti o filme da Liga da Justiça. Vendo no geralzão,eu tive sobre ele a mesmíssima opinião que eu tive sobre a série dos Defensores: tem um começo lento e um tanto enrolado na primeira metade, e da segunda metade em diante as coisas ficam meio corridas e apressadas, o enredo não é lá muito empolgante,as cenas de ação são bacanas mas nenhuma realmente grandiosa,entretanto,o carisma dos personagens compensa qualquer falha,a interação dos personagens é divertidíssima.

    Entrando em detalhes: eu achei as cenas introdutórias dos personagens muito legais, aquele começo do menino (que é o Billy Batson,tem que ser ele) “entrevistando” o Superman foi bem legal,mas acaba sendo arruinada pelo CGI tentando esconder o bigode do Superman que só piora a situação. A cena inicial do Batman é FODA DEMAIS,man,aquilo é muito Batman (destaque também para o cenário,tem uma arena no jogo do Injustice que é “telhados de Gotham City”,e cara,eles reproduziram esse cenário milimetricamente,até o lance de acertar a caixa d’água). A cena inicial da Mulher Maravilha lutando contra os terroristas no banco também foi espetacular. Aquela sequência mostrando um mundo sem esperança após a morte do Superman também foi muito bonita. As cenas que introduzem os “novatos” eu gostei bastante também, as cenas do Flash e do Cyborg com seus respectivos pais foram bem legais (Flash rabiscando a cara daquele mané foi demais kkk),as cenas deles sendo convocados foram ótimas, Bruce Wayne e Flash foi ótimo (eu preciso de amigos,rs),a Mulher Maravilha com o Cyborg foi legal também,mas depois eu achei que não ficou muito claro o motivo do Cyborg ter mudado de idéia e ter se juntado ao grupo. O Aquaman eu achei meio bosta a cena do Bruce Wayne indo lá convocar ele,porra,eles estavam falando sobre o assunto no meio daquele monte de curioso,e a identidade secreta do Batman? Como é que fica? Além de que os diálogos entre eles também não colaboravam,mas depois melhora, gostei bastante da cena do Aquaman em Atlantis com a Mera. Sobre o vilão,Lobo da Estepe,ele realmente é um vilão bem esquecível,mas achei ele uma ameaça competente,cumpre seu propósito na história.

    Agora,o ponto realmente alto: os personagens e suas interações. Aquela primeira cena deles todos juntos salvando aquelas pessoas dos Parademônios foi excelente, foi legal ver eles se tornando logo um grupo,sem enrolação,sem aquele clichê dos membros que não conseguem se entender e que só vão conseguir entender a importância do trabalho em equipe no final. Sobre os personagens em si, gostei muito de todos eles: Ben Affleck é o Batman definitivo, aquele Batman tava MUITO Batman,e eu achei legal que eles não forçaram o personagem,eles souberam trabalhar direito o lance dele ser “um humano entre deuses”, e cara,aquelas tiradas cômicas dele eram boas demais kkkk “definitivamente algo está sangrando”. A Mulher Maravilha também estava ótima, Gal Gadot é carismática demais,mas de todos os membros,eu achei que ela foi a que teve menos destaque. O Flash é demais, Ezra Miller é um ótimo ator, aquele jeitão dele todo abobalhado era hilário (“CARAMBA,É O BAT-SINAL!”, “Pera,eles simplesmente viraram as costas e saíram andando? Que grosseria.”). O Cyborg eu vi muita gente dizendo que ele ficava apagado na trama,acho que quem disse isso viu outro filme,porque ele se destacou bastante,tanto pelo seu arco dramático,quanto pelo fato dele ter a caixa materna e tals. O Aquaman é outro que todos estavam apontando como um personagem sem graça,e de novo, acho que viram o filme errado,porque o cara era foda demais! Gostei demais daquele jeitão Rock Star dele,ele zoando o Batman por não ter poderes e se vestir de morcego, ele todo empolgadão lá na batalha final,e principalmente,a cena dele com o laço da verdade,aquilo foi engraçado demais kkkkk

    Mas vamos logo falar sobre ELE. Achei que a solução para trazer o Superman de volta foi bem convincente, aquela cena dele voltando a vida todo “Cemitério Maldito” também foi muito boa,quando o Flash tá correndo em volta dele e ele dá aquela olhada maligna foi ótima,ele puxando a Mulher Maravilha pelo laço da verdade idem,mas o melhor foi a vingança dele,quando ele pega o Batman pelo pescoço e pergunta “você sangra?”,a cara do Batman de “Frank Miller me ajuda” na hora foi demais kkkk mas claro,o melhor foi ver ele em ação na batalha final. Essa cena eu achei que equivale à cena do Thor deus do trovão em Ragnarok,nós finalmente tínhamos visto o VERDADEIRO Thor,e agora,nós finalmente vimos o VERDADEIRO Superman (a mudança no meu nick ele fez por merecer), demorou,mas finalmente um Superman heróico,otimista e esperançoso! A interação dele com o Flash foi demais,aquela parte que ele chama o Flash de “lerdinho” foi hilária,ae depois o Flash vai lá,empurra uma caminhonete,fica todo felizão com isso,ae olha pro lado e lá está o Super voando com um fuckin prédio kkkkk legal também o Superman e o Cyborg destruindo a Caixa Materna e depois caindo na risada morrendo de dor kkk melhor ainda só a Diana falando “estou trabalhando com crianças”. A cena pós-créditos do Super apostando uma corrida com o Flash foi legal,mas a segunda cena deixando o gancho pra formação da Legião do Mal foi melhor (parece que o Lek Lek Luthor tem salvação,after all).

    Por fim,o filme tem problemas pra caramba sim,mas no geral o saldo é muito mais positivo do que negativo,serei obrigado à discordar dos críticos e da nota do Rotten dessa vez. Agora eu quero mais do que nunca que esse UEDC tome um rumo,porque eu quero muito ver todos esses personagens de novo. Meu hype para o filme do Aquaman está maior do que nunca,se já roubou a cena tendo menos tempo em tela que os demais membros,imagina em um filme solo. Flash precisa encontrar um diretor logo,agora eu quero esse filme mais do que nunca. Eu achava que o filme solo do Cyborg era desnecessário,mudei de idéia. Mulher Maravilha 2 eu quero pra ontem,mas que não seja outro filme de época,quero essa Diana pós-Liga. Batman precisa urgentemente do seu filme solo,e o Superman também,agora eu quero a sequência de MoS mais do que nunca. Mas o que eu mais quero MESMO é Liga da Justiça 2,quero muito ver esse elenco reunido de novo. Uma pena que,SE esse filme acontecer,vai ser só depois de 2020,e ainda existe a possibilidade dele nem acontecer :/ Agora eu só quero ver o Zack Snyder bem longe desse universo,e que a Warner aprenda a tratar seus filmes com mais respeito!

    • Pedro, o Homem Sem Medo

      Ótima análise, seu safadjinho. Cara, eu adorei o filme. Não entendo a implicância do pessoal com o filme. Eu só discordo da parte que você fala da Diana. Eu achei que ela teve bastante destaque no filme. O Superman estava sensacional e o Batman, felizmente, não foi o centro das atenções. É uma pena que o filme tenha fracassado em bilheteria. Espero que a DC não desista e continue com mais filmes da Liga da Justiça.
      (Ah, o dcneco safado não gostou muito do filme)

      • Dave Mustaine Kryptoniano

        Pois é cara,eu vi ali os comentários dele. Eu discordo de muita coisa do que ele falou (principalmente em relação ao Flash),mas se teve uma coisa que eu fui obrigado à concordar foi sobre o retorno do Superman. Eu fiquei de boa com a forma como ele voltou no filme,mas depois quando eu vi as “propostas” dele e do Rodrigo,eu percebi o que tinha de errado ali e que realmente,dava pra fazer um negócio melhor. Mas no geralzão,ótimo filme.

    • Pedro, o Homem Sem Medo

      E a série do Frank Castle? O que você achou?

      • Dave Mustaine Kryptoniano

        Ainda não tive tempo pra assistir :/ mas quando eu ver,eu te falo

    • Nem li, mas discordo de absolutamente tudo.
      INCLUSIVE COM AS DUAS ÚLTIMAS LINHAS, SEU MERDA!

      • Dave Mustaine Kryptoniano

        Azar o seu

  • Cara, desculpe a demora imensa para responder. Esse disqus é problemático. Agora encontrei um painel dentro do perfil do OVEST onde consegui ver posts em spam que não apareciam no controle interno do site. Aprovei seus comentários aqui, no post de Psicose e em Star Wars – Episódio VI: O Retorno de Jedi (1983). Acredito que a partir de agora seus comentários não entrem mais em spam.

    Conseguiu ver o filme? Gostou?

    • Rodrigo

      P#tinha Vag#bunda

    • Max Eisenhardt

      Sem problemas, brother. Agradeço pela ajuda. Faz um tempo que não apareço por aqui, mas não por causa desse problema com o Disqus, só falta de vontade mesmo. Tenho tempo livre, então tentarei aparecer mais.

      Ainda não assisti Liga. Não tô muito empolgado, confesso, mas talvez eu assista essa semana, antes da estreia de Star Wars. Tenho alguém pra me acompanhar agora, isso pode me motivar. (rs)

      Rodrigo, será que você ainda pode enviar pra mim os filmes de Ford e Kurosawa que você tem aí? Resolvi o problema do meu e-mail no mês passado. Deixarei em outro comentário pra você enviar se puder.

      • Beleza. Sim. Do Kurosawa não tenho torrent nenhum, vou dar uma olhada no site onde baixava. Do Ford tenho um zip aqui salvo. Pode enviar.

    • Max Eisenhardt
      • Anotado. Pode apagar.

        • Max Eisenhardt

          Muito obrigado. ^^

  • Minaj ♥

    Boa crítica Rodrigo. Eu gostei desse filme, mas ele podia ter sido BEEEM melhor. Tomara que a continuação seja um épico filme, coisa que esse ñ foi.

    • Valeu. Sim, podia ter sido melhor do que foi. Agora é ver se teremos continuação.