Espere uma surpresa maior quando a corrida começar.

As Novas Aventuras do Fusca (1974) deu certo, então por quê não fazer um terceiro filme? Foi o que o pessoal dos estúdios Disney pensou. Vincent McEveety tomava o posto de direção, que anteriormente pertencia a Robert Stevenson. Arthur Alsberg e Don Nelson cuidaram do roteiro substituindo Bill Walsh, e Frank De Vol era o responsável pela trilha sonora. Mas Herbie: O Fusca Enamorado (Herbie Goes to Monte Carlo) foi um bom filme? Para muitos, é considerado o melhor da franquia.

O Fusca mais conhecido dos cinemas e seu dono, Jim Douglas (Dean Jones), voltam a correr novamente, desta vez na corrida “Trans-France”. Jim já é mais experiente, e está acompanhado do mecânico Wheely Applegate (Don Knotts). Poderia ter sido só mais uma corrida, se não fosse por dois bandidos que esconderam um valioso diamante no tanque de gasolina do Herbie, precisando perseguir o carro depois para pegar a joia. Junte isso às distrações do veículo por uma Lancia Scorpion (mais tarde chamada de Giselle), fazendo o Fusca deixar a competição de lado.

Tenneessee Steinmetz, o personagem de Buddy Hackett, não retornou por algum motivo desconhecido, deixando Don Knotts meio que assumir seu lugar. Inicialmente não gostei muito dessa mudança, mas após ver o filme mais vezes, vi que estava errado e que Knotts é bem engraçado e funciona como um substituto. Não é explicado, mas Jim não está mais com Carole Bennett (Personagem do primeiro Se Meu Fusca Falasse, interpretada por Michelle Lee). Não sabemos se ela faleceu ou se separaram, o que deve ser mais provável a segunda opção. Dean Jones interpreta muito bem seu antigo papel de um corredor que entende e adora Herbie e Julie Sommars convence como uma piloto forte e destemida. Os responsáveis novamente acertaram no elenco e todos os atores cumprem bem os seus papéis em cena…mesmo que acabem sendo ofuscados pela estrela do longa: Herbie.

O seu carro…e o seu carro! Eu vi os dois.

Herbie não teve tanto destaque em Se Meu Fusca Falasse e As Novas Aventuras do Fusca como neste terceiro filme. O carro está completamente apaixonado por Giselle, gerando situações bem cômicas. Bruno von Stickle (Eric Braeden) é um piloto que vira o principal rival de Douglas na pista, mas fica como vilão secundário. Os principais são Roy KinnearBernard Fox como Quincey e Max (Claramente inspirados em Gaspar e Horácio de 101 Dálmatas), juntos de uma mente criminosa desconhecida. Os atos de Herbie são menos exagerados do que em As Novas Aventuras do Fusca (1974) e mais contidos como em Se Meu Fusca Falasse (1968). As cenas de corrida melhoraram bastante, e mesmo que a ameaça ainda seja a dupla criminosa, os protagonistas não estão a salvos de fechadas ou batidas cometidas por Stickle. Obviamente, o carro começou a ter “capacidades” novas. Ele empina mais, abre e fecha as portas e o capô, emite novos sons pela buzina, etc. Essas novidades eram inevitáveis, graças ao avanço da tecnologia, e ficaram muito bem inseridas no filme, dando mais personalidade ao carro e ao mesmo tempo não descaracterizando a ideia principal (erro de Herbie: Meu Fusca Turbinado).

George Bruns foi substituído por Frank De Vol na trilha sonora, e particularmente acho mediana…ao contrário das de Bruns que eram muito mais marcantes. Até mesmo o tema clássico de Herbie perdeu a força na versão de De Vol. E aquele mesmo furo voltou: Poucos se lembrarem do carro número 53. Já adiantando, é um erro que participa da franquia inteira e piorou quando chegou ao filme de 2005. Entretanto, em Herbie: O Fusca Enamorado ele não me incomodou tanto quanto em As Novas Aventuras do Fusca ou Herbie: Meu Fusca Turbinado.

Não coloco como o melhor da franquia, mas Herbie: O Fusca Enamorado está no meu segundo lugar. É divertido e quase no nível do primeiro filme. Mas, infelizmente, McEveety acabou escorregando em seu quarto longa da série.

Herbie: O Fusca Enamorado (Herbie Goes to Monte Carlo) – EUA, 1977, cor, 104 minutos.
Direção: Vincent McEveety. Roteiro: Arthur Alsberg, Don Nelson. Cinematografia: Leonard J. South. Edição: Cotton Warburton. Música: Frank De Vol. Elenco: Dean Jones, Don Knotts, Julie Sommars, Jacques Marin, Roy Kinnear, Bernard Fox, Eric Braeden, Xavier Saint-Macary, Johnny Haymer, François Lalande.

Compartilhe

Sobre o Autor

Thiago Ranieri

Amo filmes, histórias em quadrinhos, livros e, principalmente, Fuscas.

  • Max

    Crítica supimpa, Herbie! Eu lembro que assisti a esse filme, mas não lembro de nada. Acho que eu deveria assistir só para me lembrar…

    “Os principais [antagonistas] são Roy Kinnear e Bernard Fox como Quincey e Max”. Legal, sou um antagonista do Herbie o/

    • Herbie: The Love Bug

      Obrigado por comentar, Max!
      Esse filme não parece ser muito conhecido aqui. Na sessão da tarde só passava mesmo Se Meu Fusca Falasse e As Novas Aventuras do Fusca.
      Hehehehehehe.

  • Mr. Doom

    Ótima crítica, Herbie. De fato, as mudanças no Herbie foram bem-vindas e muito bem encaixadas. É uma pena que tenham pecado neste aspecto em “Meu Fusca Turbinado” (bem, aquele filme inteiro é um erro, rs).

    • Herbie: The Love Bug

      Obrigado, Doom!
      Se ao menos o problema daquele filme fosse o CGI…

  • Dave Mustaine Kryptoniano

    Ah,então você é o fusquinha pegador? Kkkkkk muito bom Herbie,fico feliz em ver que a franquia não foi afetada pela maldição do terceiro filme.

    emite novos sons pela buzina

    Kkkkkkkk por que isso foi engraçado?

    • Herbie: The Love Bug

      Sou mesmo. Coitado do Aragorn…buehehehe.
      Não foi afetada no terceiro filme, mas foi no quarto….
      Não sei…talvez PORQUE VOCÊ SEJA UM TARADO ESTUPRADOR, UM HOMEM QUE SÓ PENSA NAQUILO! EU VOU TE DENUNCIAR, SEU PSICÓTICO TARADO MENTE SUJA!

      • Dave Mustaine Kryptoniano

        Kkkkkkkkkkk pourra

  • Aragorn II, King of Gondor

    Fusca, o que acha do escapamento da Giselle? Kkkkkk!

    Boa crítica. Só a ideia de ter um casal de carros já mostra que esse filme deve ser demais… hauahuahauahua!

    • Herbie: The Love Bug

      Eu sei que você ainda tem magoas e raiva da Giselle, Aragorn. Mas relaxe…um dia você irá encontrar um veículo que goste de você pelo que você é. BUEHEHEHEHEHE!
      O filme é muito legal mesmo.

  • Mais uma excelente crítica, seu fusca safado!
    Muito bom saber que você, como fã, gostou do filme. Eu sei que o segundo é um pouco fraco pra ti. E… pqp… os caras mantém o furo de ninguém conhecer o Herbie? Mas que porra.
    Colocar o Herbie como um carro de corrida novamente, que, literalmente, participa das corridas, foi a melhor das decisões.

    “O carro está completamente apaixonado por Giselle, gerando situações bem cômicas.”

    https://youtu.be/ydWwqy_FGOk

    Off: Sempre quis saber… como surgiu seu amor pelo Herbie, e por essa franquia, meu amigo?

    • Herbie: The Love Bug

      Thanks, Jipeiro.
      Bem, eu sempre gostei de Fuscas. Desde criança mesmo (Tanto é que por causa disto, meu pai comprou um Fusca 76 vermelho, reformado que está aqui até hoje), então era meio impossível eu não me apaixonar pelo Herbie. Se não me engano, eu assisti o primeiro Se Meu Fusca Falasse antes de Herbie: Meu Fusca Turbinado. Na infância, só consegui assistir o primeiro filme, As Novas Aventuras do Fusca e Turbinado. O resto eu não tinha, e ficava morrendo de vontade de ver. Minha prima conseguiu baixar Herbie: O Fusca Enamorado e eu assisti inúmeras vezes. Agora, o remake com o Bruce Campbell eu assisti na Sessão da tarde e A Última Cruzada do Fusca foi no ano passado.

  • Ótimo texto @theLove_Bug:disqus . Excelente essa tradução do título. Acho que é a segunda melhor da franquia…rs

    • Herbie: The Love Bug

      Obrigado, Rodrigo!
      Há quem goste e quem acha tosco. Pelo que parece, o filme tem dois títulos aqui no Brasil: Herbie: O Fusca Enamorado e Um Fusca em Monte Carlo (que se aproxima mais do original).
      Mas é fato que esse título ao menos não se distanciou da história. Filmes como The Hotel New Hampshire ganharam o título de Um Hotel Muito Louco. Dá a impressão que é uma comédia kkkk