Não existe nada de errado com o carro. Só que eu quero ir para um lado e ele vai para outro!

Em 1961, o escritor Gordon Buford escreveu uma história chamada “Car, Boy, Girl”, inspirado na relação de seus pais com automóveis (tratados como se fossem animais de estimação). Acontece que seu trabalho acabou sendo descoberto pelo grande Walt Disney. O visionário se interessou pela história e estava determinado a trazê-la para as telonas. Vendo o sucesso de produções como O Fantástico Super-Homem (1961)O Fabuloso Criador de Encrencas (1963) e, principalmente, Mary Poppins (1964), o diretor Robert Stevenson e os roteiristas Bill Walsh e Don DaGradi foram rapidamente contratados para tomar conta do projeto. A estrela Dean Jones, que antes tinha sugerido um filme sério sobre o primeiro carro esportivo levado para os Estados Unidos, foi convencido por Disney a embarcar. Infelizmente, Disney morreu em 1966 e não pode ver o resultado de seu último filme live-action feito sob sua própria autorização: Se Meu Fusca Falasse. Além de ser uma das franquias mais duradouras do estúdio (se não, a maior), o filme foi responsável por introduzir o primeiro automóvel vivo em live-action nos cinemas.

Antes de começar, falarei de algumas curiosidades. Para escolher a grande estrela, foram espalhados um modelo das marcas Chevrolet, Fiat, Volvo e claro, Volkswagen, e notaram qual deles chamava mais atenção. No caso, foi o representante da marca alemã. E assim nascia um dos carros mais famosos do mundo: Herbie. O roteirista Bill Walsh era um fã de beisebol, e decidiu homenagear o jogador Don Drysdale. O número 53 e as cores azul, branco e vermelho (que fizeram parte do uniforme de Drysdale) viraram uma das características principais do “personagem”. A sigla da placa de Herbie, OFP 857, é uma referência à primeira produção da Disney dirigida por Robert Stevenson, na qual as letras e números significam “OUR FIRST PRODUCTION, AUGUST, 1957”Car, Boy, Girl; The Magic Volksy; The Runaway Wagen; Beetlebomb; Wonderbeetle; Bugboom e Thunderbug estavam entre os títulos considerados para o longa antes de oficializarem o nome como The Love Bug (que no Brasil, foi traduzido para Se Meu Fusca Falasse).

Agora, vamos para a sinopse: Jim Douglas (Dean Jones) é um piloto de corridas fracassado que mora com Tennessee Steinmetz (Buddy Hackett), seu melhor amigo que cria “arte” usando peças de carros destruídos. Ele é acusado pelo furto de um Fusca 63 branco em uma concessionária de automóveis importados pertencente à Peter Thorndyke (David Tomlinson), e é obrigado a comprar o veículo. Acontece que o automóvel misteriosamente possui vida própria e é capaz de fazer coisas incríveis, como atingir uma velocidade fora do normal. Esse fato ajuda Jim a vencer várias corridas em Laguna Seca e Riverside. Thorndyke, um campeão nacional da SCCA (Sports Car Club of America) fica fascinado com o pequeno Volkswagen e decide voltar para as pistas, se tornando o principal rival de Douglas.

Eles fazem 10 mil carros da mesma maneira. Mas um ou dois deles acabam se tornando especiais.

A história poderia ser facilmente adaptado para um longa animado, visto algumas características presentes nas animações clássicas do estúdio. Dean Jones interpreta um personagem inicialmente pessimista e egoísta muito bem, apesar de às vezes “relaxar” um pouco em certas cenas. Michele Lee é decidida, forte e independente como a secretária Carole Bennet. Buddy Hackett e David Tomlinson estão excelentes. O primeiro já era um comediante há muito tempo, e conseguiu facilmente trazer um estudante de filosofia oriental engraçado e amável. Já Tomlinson, que 5 anos antes atuou em Mary Poppins (1964), é um dos principais motivos pelo qual você deve conferir o filme. Ele pode ser definido como uma espécie de Dick Vigarista da Disney, que fará tudo para vencer mesmo que seja por meios sujos. Diferente dos carros antropomórficos de desenhos animados, o Herbie não pode falar. Em vez disso, ele utiliza sua buzina. Cada emoção do carro foi muito bem transmitida para o espectador.

Diria que este é o segundo melhor filme da carreia de Robert Stevenson. Ele soube dirigir as cenas de corrida e as habilidades de Herbie (para realmente dar velocidade ao Fusca, seu motor foi substituído pelo Porsche 356). E aliás, criatividade não falta. As partes onde o carrinho empina e chega em primeiro e terceiro lugar de forma inusitada são difíceis de se esquecer. Mas nada disso seria memorável se não fosse pela trilha sonora de George Bruns (também usada nos 4 filmes seguintes).  Entretanto, apesar de boa, ela é exageradamente colocada em alguns momentos, deixando-a um pouco enjoativa depois de uma segunda conferida. Os efeitos especiais ainda estão bem convincentes, já que o filme é quase que totalmente prático (ao contrário do longa de 2005, Herbie: Meu Fusca Turbinado). Isto não chega a ser um ponto tão negativo, mas tive a impressão que Walsh e DaGradi enrolaram desnecessariamente certas partes do longa, deixando de explorar outros detalhes que fossem mais interessantes.

Não daria nota 10, mas é uma excelente indicação para a família e indispensável para fãs dos anos 60/70 e automóveis. Embora tenha idade (não ter envelhecido tão bem para alguns), Se Meu Fusca Falasse ainda consegue entreter. Já sabemos o final do filme, porém não imaginamos como os três protagonistas conseguirão vencer Thorndyke e seu parceiro Havershaw (interpretado por Joe Flynn). Não posso revelar muita coisa, mas adianto que foi uma ideia bem criativa para a época e muito bem filmada.

Se Meu Fusca Falasse foi o segundo maior longa da Walt Disney Pictures (por pouco quase ultrapassando Mary Poppins) e ficou no terceiro lugar de maiores bilheterias de 1968, perdendo para Funny Girl e 2001: Uma Odisseia no Espaço. Até a chegada de Star Wars em 1977, era uma das produções com ganhos mais altos. Após 13 anos descansando, Herbie tentará sair da garagem com um remake em formato de série pelo Disney XD. Só resta aos fãs torcerem por algo digno do Fusca mais famoso dos cinemas.

Se Meu Fusca Falasse (The Love Bug) – EUA, 1968, cor, 120 minutos.
Direção: Robert Stevenson. Roteiro: Bill Walsh, Don DaGradi (baseado em livro de Gordon Buford). Cinematografia: Edward Colman. Edição: Cotton Warburton. Música: George Bruns. Elenco: Dean Jones, Michele Lee, David Tomlinson, Buddy Hackett, Benson Fong, Joe Flynn, Joe E. Ross, Barry Kelley, Iris Adrian, Gary Owens

Compartilhe

Sobre o Autor

Thiago Ranieri

Amo filmes, histórias em quadrinhos, livros e, principalmente, Fuscas.

  • Ótima crítica, clone!
    Nem sei o que comentar além disso.

    • Obrigado, irmão clone!
      Não há necessidade. Eu posso morrer feliz sabendo que você viu esse filme. <spoiler

      • Veja este comentário rápido antes que eles apaguem.
        O Doom, que fazia parte dos Illuminatis (foi retirado da organização por falar palavrão) disse que você é o original.
        OFF: Eu também faço parte da sociedade, mas depois de dizer isso deverei ser demitido.

  • marcilio

    Excelente trabalho , como sempre (leia com sotaque alemao)

    • Danke (de acordo com o google tradutor, é obrigado em alemão).
      Marcilio, por acaso já assistiu Zeke e Luther?

      • marcilio

        E assim mesmo

        kkkkkk , na epoca que passava , se voce assistia , voce era o maioral no meu colegio

        • Então, o roteirista dessa série será um dos responsáveis pela série do Herbie pelo Disney XD.
          Isso me deixou mais confiante.

          • marcilio

            A comedia e as coisas bizarras nao vao faltar

          • Isso não pode faltar nunca.

            Mesmo se a série for uma merda, pode aumentar o interesse do público novo pelos filmes originais.

          • marcilio

            Ate hoje a cena que foi WTF pra mim foi ele deslisando na estrada, na hora vem na cabeça aquele rap:

            “they see me rolling , they hating”

            kkkkkkkkk

          • KKKKKKKKKKKKKKKKKK
            Essa cena é a do terceiro filme?

          • marcilio

            Acho que era , nao lembro direito , mas a imagem e fixa na mente kkkkkkkk

          • No terceiro ele se apaixona pela Giselle, que é uma Lancia Scorpion.

          • marcilio

            Acho que era esse mesmo

          • Aparece mais no OBEST.

          • marcilio

            Depois do que voces me falaram do GIA , vou passar sim

  • Dave Mustaine Asgaardiano

    Ótima crítica de novo Herbie. Tá aí mais um clássico que eu preciso ver,esse quem gosta bastante é o meu avô (apesar dele não ser lá muito fã de Fuscas kkkk). Eu só vi aquele remake com a Lindsay Lohan,mas nunca consegui assisti-lo inteiro,é muito ruim.
    Será que essa série do Disney XD vai dar certo?

    • Obrigado, Dave!
      Eu quero conhecer seu avô kkkkkkkkk a minha avó disse que viu o filme nos cinemas.
      Aquele remake é terrível. E o pior é que a Disney roubou o roteiro de um cara chamado Joshua Qualls, e a versão dele era mil vezes melhor. Os personagens clássicos iam voltar, a Lindsay Lohan seria neta do Jim Douglas, o John Cleese ia interpretar o personagem do David Tomlinson….Ele até fez um vídeo contando tudo, mas depois de um tempo excluiu.
      Talvez dê. O Herbie não é um personagem difícil de se escrever. Eu gostava de Zeke e Luther, e um dos roteiristas dela será também um dos responsáveis pelo remake do Herbie. Mas penso que um remake em filme seria bem melhor, ainda mais que vai ter Mary Poppins em 2018…

      • Dave Mustaine Asgaardiano

        O meu avô tinha inventado uma piada ótima uma vez:
        P: Sabe o que o trólebus disse pro Fusca?
        R:Sai pra lá nanico!
        P:Aí sabe o que o Fusca respondeu?
        R:Você que fica aí andando pendurado no fio.

        Zeke e Luther? Eu amava essa série,de longe a melhor coisa já feita pelo Disney XD!

        • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
          Eu gostava bastante. Se os roteiristas entenderem a essência do Herbie (algo que a Angela Robinson e companhia não entenderam quando fizeram Meu Fusca Turbinado), pode sair algo perfeito. Já tá na hora de ter uma série com qualidade melhor (tanto o XD como o Disney Channel).

        • O seu avô detesta Meu Fusca Turbinado?

          • Dave Mustaine Asgaardiano

            Sim. Ele o considera “sem graça”.

          • YESSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS
            Ele assistiu outros filmes do Herbie provavelmente. Teve dois filmes dele nos anos 70 e um no início dos 80.

          • Dave Mustaine Asgaardiano

            Aí eu já não sei dizer…rs.

          • O segundo filme teve a Helen Hayes. Provavelmente ele deve conhecer.
            Em 2014, teve um rumor dizendo que teria um novo filme do Herbie com aquele ator de Austin e Ally, mas não se concretizou. Ou era pura mentira ou foi uma ideia descartada.

  • Aragorn II, King of Gondor

    E eu ainda não assisti, mas ASSISTIREI! Férias, me aguardem…

    Ótima crítica, bem completa. Espero que o filme honre o tanto de expectativa que eu fui criando… hahaha!

  • Ótimo texto. Sua relação com a série de filmes do Herbie é tipo a minha com os westerns…kkkkkkkkkkkkkk Vi esse filme algumas vezes na infância, e lembro de achar divertido, mas não lembro de quase detalhe algum. O título em pt-br é uma das melhores traduções que já fizeram de títulos de filmes por aqui.

    • Obrigado, Rodrigo!
      Kkkkkkkkkkkk a minha infância resumida foi assim: Disney e Disney Pixar.
      As sequências decaíram, tirando o terceiro filme onde ele se apaixona por uma Lancia. O segundo filme é mais memorável pela Helen Hayes e o Keenan Wynn.
      Eu concordo totalmente. E aliás, todos os títulos da franquia em pt-br são ótimos.
      Herbie Rides Again- As Novas Aventuras do Fusca
      Herbie Goes to Monte Carlo- Um Fusca em Monte Carlo/Herbie: O Fusca Enamorado
      Herbie Goes Bananas- A Última Cruzada do Fusca
      Herbie Fully Loaded- Herbie: Meu Fusca Turbinado.
      Aquele filme de 2005, você já assistiu? Eu acho terrível. Afundou pro 13 anos, até a Disney decidir fazer um remake em forma de série. Eu ainda acho que um filme novo seria perfeito, e o Tom Holland como protagonista seria excelente.
      Hoje é difícil a Disney fazer filmes live-actions originais. Eles apostam em adaptações de animações clássicas. Mas quem sabe com o lançamento de Mary Poppins Returns, isso mude?

      • O filme novo eu não vi. Só os antigos. Acho que o caminho as animações clássicas em live-action ainda vai ser explorado por muito tempo. Tem muita coisa legal que eles ainda podem fazer versões com atores, como O Corcunda de Notre-Dame.

        • O filme novo foi inspirado em um roteiro de um cara chamado Joshua Qualls, que mandou pra Disney em 2004. Na carta, dizia que eles não tinham interesse em ressuscitar a franquia, porém lançaram Meu Fusca Turbinado em 2005 e ainda plagiaram o roteiro dele. Tinha uma protagonista feminina, a Nascar, etc. Mas ela seria neta do Dean Jones, ele pretendia colocar o John Cleese como Peter Thorndyke (Já que o Tomlinson faleceu em 2000) e voltar com os personagens originais, como o Don Knotts (que participou de Herbie Goes to Monte Carlo). O Herbie também não seria essa porcaria em CGI e ele não viraria um carro de corridas da Nascar. O filme tá mais pra remake do que continuação, e eu não curto muito essa ideia. Fizeram em 2006 um remake de The Shaggy Dog (outro filme da Disney lançado em 1959) com o Tim Allen, e flopou feio.
          Concordo. Tem muita coisa mesmo que pode virar live-action.
          Sabia que a Disney nos anos 40 pretendia fazer animação da Chapeuzinho Vermelho, João e Maria e Cachinhos Dourados? Até hoje não se sabe o porque de não ter saído do papel.

  • O Homem-Coisa

    Ótima crítica. Acho que esse é o melhor filme live-action da Disney, e o melhor filme do Herbie.
    Acho que talvez só Mary Poppins pode ultrapassar ele (perdão pelo trocadilho kkkk)

    • Obrigado, Homem-Coisa.
      Mary Poppins ultrapassa ele kkkkkkkkk É o primeiro melhor filme do Robert Stevenson, e Herbie é o segundo melhor. Ainda pretendo ver outros filmes dele.
      Tem uma cena que a Mary fala pras crianças: “Nós não estamos em uma pista de corrida.”
      Coincidência ou não, em 1965 (um ano depois de Mary Poppins ter sido lançado) SMFF começou oficialmente sua produção kkkkkkk

      • O Homem-Coisa

        Kkkkkkkkk isso é bem irônico hahahaha

        • Uma pena que a Julie Andrews não participou de nenhum filme do Herbie. Stevenson perdeu a oportunidade….

    • Minaj ♥

      Homem-Coisa!

  • Kleber Oliveira

    Ótimo texto, cara. É sempre muito bom ler alguém escrever sobre o que gosta. Você com a sua paixão pelo personagem é algo impressionante, haha.

    Assisti esse filme uma vez há muito tempo e confesso que não lembro de nada. E o pior é que em relação ao Herbie eu só me lembro de algumas cenas daquele filme horrível com a Lindsay Loham, hehe. Vou tentar assistir esse.

    Sobre as sequências, o que acha delas?

    • Kleber!!!!!
      Obrigado por comentar!!! Kkkkkk minha infância resumida foi assim: Disney e Disney Pixar.

      Eu acho que o As Novas Aventuras do Fusca é bom, mas contém alguns exageros e uns pequenos furinhos. A Helen Hayes e o Keenan Wynn são as melhores coisas do filme. Herbie: O Fusca Enamorado eu considero o melhor da franquia. Herbie Goes Bananas(A Última Cruzada do Fusca) é bem mediano, mas não considero terrível como algumas críticas pregam. O filme com o Bruce Campbell é mais furado que queijo suíço, mas ele se salva por causa dele e o John Hannah. Já Meu Fusca Turbinado….acho que você já sabe kkkkk eu estou fazendo o rascunho da crítica dessa bomba. Sabia que a Disney plagiou o argumento de um cara que tinha enviado pra eles em 2004? E o roteiro dele era ótimo….não tinha o Herbie em CGI, o John Cleese faria o papel do Thorndyke e a Lindsay Lohan seria neta do Dean Jones.

    • Sabia que o Herbie seria vermelho? Por algum motivo a Disney decidiu optar por branco.
      https://uploads.disquscdn.com/images/17dfa60d67dcd7f945512dcab2672b78cb64368b83357188008344dad1207258.jpg

  • Caramba… o último filme autorizado pelo Disney em pessoa? Tem muita história esse fusquinha! kkkkkk

    Essa parada de um ou dois carros nascerem “especiais” é bem legal. Deixa que a mente do espectador cubra as lacunas, vivendo no imaginário. Eu nunca assisti ao filme, e pra mim o Herbie falava kkkkkkkkkkkkkk

    Excelente crítica, meu amigo. Ainda mais vindo de alguém que é tão apaixonado pela franquia.
    Vai falar dos outros?

    • Obrigado, Jipeiro.
      Sim. O Disney leu o livro e gostou, mas deve ter mudado radicalmente porque o carro não era um Fusca e provavelmente não tinham corridas. O Dean Jones queria que fosse um filem sério sobre o primeiro carro esportivo trazido para os EUA, mas provavelmente seria um fracasso. Ainda mais sendo um filme da Disney.
      GRAÇAS A DEUS QUE ELE NÃO FALAVA KKKKKKK! O filme seria meio tosco. Um carro falar combina muito mais com uma animação, na proposta desse filme. Eu gosto que a origem dele fique em aberto também, e sem explicações. O Peyton Reed fez um filme do Herbie para a TV explicando, mas ficou meio estranho. Quer dizer que o criador do Herbie é nazista? Kkkkkkkkkk
      Vou fazer do segundo e terceiro filme, porque o resto que veio depois não importa muito. Meu Fusca Turbinado já está pronto, e esse eu preciso falar pois é o mais recente. Alguns do youtube pensavam que esse de 2005 era um filme completamente original kkkkkkk

      • Eita, então foram por um caminho bem perigoso. Mas pelo visto acertaram em cheio!!!
        GRAÇAS A DEUS MESMO! kkkkkkkkkkkkkk

        Me responde uma coisa… Há muito, muito tempo, eu vi um filme com a Lindsey Lohan, e tinha um carro que ganhava vida nele. É algum dos filmes do Herbie? Ou eu estou viajando legal aqui?

        • Herbie: The Love Bug

          É difícil a Disney errar. Mary Poppins no livro era bem diferente e o filme pra muitos foi bem melhor.
          Sim, é esse de 2005 com a Lindsay Lohan. Mas é uma bosta. Afundou a franquia por 12 ou 13 anos até decidirem fazer um remake.

    • E se ele falasse, “Se Meu Fusca Falasse” não faria sentido.

  • Minaj ♥

    Crítica foda Herbie. Vim do TME até aqui para ver essa crítica. Eu já vi esse filme uma vez, mas faz muito tempo. Kkkk eu sempre achei o carro Herbie engraçado, ele podia aparecer na franquia carros da pixar.