Aviso: A resenha contém spoilers

Surpreendentes X-Men: Superdotados (Gifted em inglês) é uma ótima fase dos mutantes, onde redefiniu a equipe. Joss Whedon escreveu essa  história e John Cassaday foi o desenhista responsável,  definindo uma nova fase para dos X-Men. O arco foi da edição 1 até a 6 da revista “Astonishing X-Men”. O evento teve seu inicio e fim em 2004.

A antiga membra dos X-Men Kitty Pride, que havia deixado o grupo, retorna a equipe que é atualmente formada por: Wolverine, Ciclope, Emma Frost e Fera. Com a ausência do prof. Xavier, Emma e Ciclope se tornaram os diretores do instituto, nesse momento repleto de crianças mutantes.

Em um determinado momento, acontece uma briga entre Wolverine e Ciclope, pois Wolverine tem dificuldade pra aceitar que Ciclope já esteja se relacionando com Emma Frost logo após a morte de Jean Grey, porém a situação é controlada pelos demais X-Men.

Um dos objetivos de equipe é trabalhar para mudar a forma como os humanos enxergam os mutantes e pra isso determinam que novas formas de ação deverão ser adotadas como uma convivência respeitosa, compreensão e entendimento e completando essas ações eles também foi dito que eles deverão usar colantes para serem vistos como são: Heróis.

A equipe dos X-Men entram em ação para resgatar reféns que estavam sendo mantidos por um alienígena chamado Ord, com pretensões desconhecidas e que se tornaria o mais novo inimigo da equipe. Simultaneamente, a geneticista Kavita Rao dá uma palestra afirmando ter encontrado a cura para os poderes dos mutantes, provocando uma grande confusão, inclusive no Instituto, e isso faz com que o Fera vá até Kavita, que era sua amiga, e pedir uma amostra para estudar e confirmar essa nova fórmula.

Após obterem alguns resultados, os X-Men invadem secretamente os laboratórios Benetech, onde a suposta cura esta em desenvolvimento. Enquanto isto, o instituto dos X-Men, que estava desprotegido, é atacado por Ord que estava com uma amostra da fórmula e injeta-a no aluno Asa, que acaba perdendo seu poder de voo, provando assim que existe a cura para os mutantes.

Durante a invasão no laboratório, Kitty Pride desce até os subterrâneos do local e encontra o antigo X-Man Colossus, que foi morto tempos atrás e após ambos tomar conhecimento do que ocorreu com ele, se alia novamente ao X-Men. Depois disso, ocorre uma interferência da S.H.I.E.L.D. Então aparece a agente Brand (que sabia da prisão de Colossus o tempo inteiro) da S.W.O.R.D., que é uma subagência da S.H.I.E.L.D. que investiga vida alienígena.

De repente o laboratório é totalmente destruído quando Ord foge em sua nave após sequestrar a jovem mutante Tildie, que foi utilizada para gerar a cura, porém a equipe consegue derrotar Ord com o auxílio do recém chegado (novamente) Colossus, que lança Wolverine contra a nave, que acaba caindo. Ord é finalmente derrotado e preso. A jovem mutante, resgatada.

No dia seguinte, Kitty e Colossus vão andar no jardim do instituto. Enquanto isso, Emma Frost conversa com um desconhecido e os dois parecem planejar algo perigoso…

A história está bem construída e deixa o leitor curioso no final sobre quem estava conversando com Emma. A trama também deixa outra intriga: Este é o verdadeiro Colossus? E como ele pode estar vivo? Porém todas as perguntas são respondidas nas próximas edições. Os desenhos são bem feitos e trabalhados e um pouco realistas, além de  combinar muito bem com as cores utilizadas.

A HQ é a redefinição dos X-Men para os tempos atuais e faz isso com maestria. Joss Whedon também nos trás um motivo até que estranho para agradar os fãs e voltar com os clássicos colantes. A história é muito recomendada tanto para quem é um antigo fã e para quem é novo nos quadrinhos dos X-Men e até mesmo na Marvel.

Nada mudou. O lugar foi destruído, e agora parece que nada aconteceu. Parece que o tempo não passou.

Surpreendentes X-Men: Superdotados (Gifted – Publicado originalmente nas edições 1 a 6 de Astonishing X-Men – EUA – 2004, Marvel Comics). Roteiro: Joss Whedon. Desenhos: John Cassaday. Cores: Laura Depuy-Martin. Editor original: Joe Quesada e Mike Marts.

Compartilhe

Sobre o Autor

Lucca de Paula

12. Aspirante a escritor (mesmo que procrastine muito), fã de HQs, videogames, livros, filmes e diversas outras coisas.

  • Mr. Doom

    Ótima resenha.
    Esta é uma das minhas histórias favoritas dos X-Men. A fase do Whedon é muito boa, uma excelente abordagem recente para a equipe, ainda mais para mim que não gostei muito da fase Morrison – embora compreenda a sua importância para o desenvolvimento de determinados personagens.
    Somado ao trabalho excepcional realizado com os Vingadores nos cinemas, este é um dos motivos que me faz querer Joss Whedon na direção de um filme dos Filhos do Átomo.

  • Aragorn II, King of Gondor

    Gostei muito dessa resenha em especial. Parabéns, Death!

    Ainda não li muito dos X-Men, mas esse título me atrai bastante a atenção, em especial pelo Whedon.

    • Max Eisenhardt

      Então você realmente não sabe o que está perdendo. Kkkkkk Dentre os quadrinhos mainstreans, poucas coisas se comparam às grandes fases e sagas da mitologia mutante. Não era à toa que a equipe detinha o cargo chefe em vendas na Marvel. A concepção de Lee e Kirby já foi extraordinária. A idealização de Claremont, então… simplesmente incrível! Quando você conferir o desenvolvimento e a continuidade das histórias da Ninhada, dos Sentinelas, dos Magistrados, da Irmandade e dos Acólitos, dentre outros arcos, verá o quão rica e brilhante é essa mitologia. Sem falar nas pautas sociais que são abordadas nas histórias. Enfim, leia as HQs da equipe, pois estão entre as melhores produções da nona arte. 😉

      • Aragorn II, King of Gondor

        Faço alguma ideia, cara… kkkkk! Eu tenho alguma noção da extrema qualidade dos quadrinhos dos mutantes, e creio que pelo menos 1/3 da minha lista de futuras leituras é formada por títulos deles. Acredito em tudo que me dizem sobre a qualidade imensurável dessa mitologia fantástica, tanto que não sei explicar porque ainda li tão pouco.
        Tenho certeza de que começarei a conferir melhor em breve, meu amigo! E obrigado pela recomendação… 🙂

      • Aragorn II, King of Gondor
  • Herbie: The Love Bug

    Ótima resenha. Quero muito ler essa HQ.

  • Ótima resenha. Essa aí foi a única fase dos X-Men pós-2001 (que foi quando parei de colecionar quadrinhos), que eu li, alguns anos atrás. Não lembro se li todas as edições em que o Whedon trabalhou nesse título, mas li boa parte. X-Men é justamente isso aí. Lembro que até 2001 era impossível saber quantos mutantes faziam parte dos X-Men. Acho que foi um dos grandes motivos das histórias terem caído tanto de nível naquele período. E o Whedon mostrou o caminho: uma equipe concisa, complementar e familiar. Isso é, e sempre foi, a alma do grupo.

    • É uma boa fase, mesmo eu não tendo lido muito. Li esse arco e o próximo (que irei resenhar no futuro).

      • É bem legal. Dá pra ver muita influência da fase Claremont nele.

    • Herbie: The Love Bug

      E a Fox não consegue fazer nada decente em cima da equipe. Só conseguiram acertar com Logan e Deadpool.
      O que Stan Lee e Jack Kirby amam, a Fox destrói kkkkk

  • Pedro, o Homem Sem Medo

    Boa resenha, Lucca. Eu tenho esse encadernado em minha coleção, para minha sorte:-)

    • Que sorte rs.
      E vai começar com essa mania de novo?

      Fiquei surpreso de ver que você não se parece com o Charlie Cox.

  • Dave Mustaine Rebirth

    Essa está na minha lista de leituras da Marvel,pena que os arrombados da Panini forçaram os caras do HQ Ultimate á retirarem.

    • Saiba que você está falando com um traficante de scan.

      • Dave Mustaine Rebirth

        Tem algum site pra ler?

        • HQBR é o melhor substituto do HQ Ultimate. Tem quase tudo que o antigo site tinha.
          https://hqbr.com.br/
          Obs: Ignora esse aviso que vai aparecer. É pra trollar a Panini.

          • Dave Mustaine Rebirth

            HQBR eu conheço.

          • Conheço outro, mas não é tão bom (quando se trata de clássicos). Ele é mais pra N52 e Rebirth. É o Galáxia do Quadrinhos.

  • Max Eisenhardt

    Belo post! Surpreendentes X-Men é uma das melhores fases pós-2000 da principal equipe de mutantes, juntamente com a fase anterior: Os Novos X-Men, roteirizada por Grant Morrison e ilustrada por Frank Quitely. A sequência​ de Superdotados, Perigoso, é ainda melhor, equiparando-se, para mim, com Imperial, o segundo arco (e meu preferido) da fase Morrison, que também merece ser apresentada num futuro post. Outras histórias da mitologia mutante que merecem notoriedade, se me permite sugerir, são: Ultimate X-Men, por Mark Millar e os irmãos Kubert, A Fabulosa X-Force, por Rick Remender e Wolverine e os X-Men, por Jason Aaron e Chris Bachalo — todas fases pós-2000. Todas excelentes!

    • Obrigado.
      Farei resenha de Perigoso e Imperial também. Talvez demore um pouco, mas vai ter.