How I Met Your Mother é uma série estadunidense, que esteve no ar entre 2005 e 2014, possuindo 9 temporadas com um total de 208 episódios. O elenco é composto principalmente por Josh Radnor (Ted Mosby), Jason Segel (Marshall Eriksen), Cobie Smulders (Robin Scherbatsky), Neil Patrick Harris (Barney Stinson), Alyson Hannigan (Lily Aldrin) e Cristin Milioti (Tracy McConnell, vulgo “A Mãe”).

A série gira em torno da vida de Ted Mosby e dos seus amigos, que é narrada por ele próprio aos seus filhos, 25 anos mais tarde. O Ted do futuro os conta as histórias e peripécias que o levaram a conhecer a mãe de suas crianças. Em 2005, aos 27 anos, o jovem Ted, após o seu melhor amigo, Marshall Eriksen, ficar noivo, decide finalmente ir em busca da sua cara-metade. Com gestos românticos questionáveis, Ted conhece Robin Scherbatsky no bar que costumavam frequentar, Maclaren’s Pub. Após uma série de eventos, Robin passa a pertencer ao grupo de amigos de Ted, formados por Barney, e Marshall e sua noiva, Lily, que namoram desde o primeiro ano da faculdade.

Olha, pessoal, serei totalmente sincero para vocês… Se tem uma série que eu amo com todas as minhas forças (além de Dexter e Breaking Bad) é How I Met Your Mother. Sabe quando você começa a assistir ou ler alguma coisa, sem dar absolutamente nada para aquilo, e se surpreende? Pois é, foi exatamente isso que aconteceu comigo vendo essa série. Toda a jornada do Ted, o protagonista, e dos demais personagens, mexeram muito comigo. Mexeram ao ponto de me fazer chorar muitas das vezes (sim, sou um cara emotivo – e babaca).

Acabando a série (ou até durante ela) você se considera um verdadeiro de todos aqueles personagens. Como se, quando eles entram no MacLaren’s, bar que frequentam, e que se localiza logo abaixo do apartamento (pelo menos nas primeiras temporadas) onde moram três deles, você entrasse junto, e bebesse cerveja com todos, para escutar as desilusões amorosas de Ted, as aventuras de Lily e Marshall, as situações de trabalho e da imigração da Robin, ou as loucuras sexuais e mitagens do Barney.

How I Met Your Mother é uma série para qualquer um. Não possui um nicho específico (embora consiga facilmente agarrar pessoas românticas e emotivas) e consegue te conquistar desde o primeiro capítulo. Você sentirá raiva por todas as burradas que o Ted cometerá durante praticamente todos os episódios, mas verá que no final tudo valeu a pena. Mais que uma série de comédia, How I Met Your Mother é uma série sobre amor e amizade.

A amizade, o amor e o destino

Se tem três coisas que How I Met Your Mother nos ensina são: valorizar os amigos; não desistir de encontrar a pessoa certa; e confiar no seu destino, pois ele reserva algo incrível para você.

Relacionamentos não são sobre levar a melhor, mas sim sobre caminhar juntos. É isso que torna Lily e Marshall tão especiais. Considerados por muitos como um exemplo a ser seguido, o casal também possui seus altos e baixos; como pessoas normais, eles também têm seus problemas, e aprenderam, com o tempo, a lidar juntos com todos eles. Por pior que seja o problema que você teve, ele faz parte da sua vida. O importante, e mais legal de ver, é que todos esses personagens lutam para permanecerem unidos, mesmo quando coisas ruins acontecem. Uma amizade verdadeira, com um carinho imenso e recíproco presente no coração de todos eles.

Assim como Lily e Marshall, Robin e Ted também possuem seus inúmeros problemas. Ambos os personagens já se relacionaram entre si, mas viram que era muito cedo para dar certo. Ted continuou seguindo sua vida, procurando a mãe de seus filhos, enquanto Robin seguiu lidando com seus problemas, seguindo seus sonhos profissionais. Esse é ponto em que eu queria chegar… A amizade e o amor são duas coisas que nos levam onde querermos chegar. São responsáveis por moldar o nosso futuro, e garantir que o destino faça sua parte. Lembrem-se: nada na sua vida será legendário se seus amigos não estiverem lá pra ver!

Você vai se emocionar com algumas coisas e situações presentes na vida dos personagens, e se surpreender com eles quando algo inesperado acontecer. Vai rir de suas piadas, e chorar com suas desilusões. How I Met Your Mother mostra, muitas das vezes, como a vida pode ser cruel com a gente, sem demonstrar sequer uma afeição por nossa personalidade. Um verdadeiro tapa na nossa cara.

Você é incrível!

Sim, você é incrível. Não deixe que ninguém diga o contrário. Até mesmo se você foi uma estrela pop adolescente, e hoje se veja arrependida de tudo isso, nunca se esqueça de que você é incrível! E o que melhor do que estar cercado por pessoas incríveis também?

How I Met Your Mother nos ensina que, até nos momentos mais difíceis, podemos rir de toda situação, e nos divertirmos. Somos capazes de levantar a cabeça e seguir em frente. Barney, meu personagem predileto (e acredito que seja o predileto de muitas pessoas também) é a encarnação do “ser incrível”. Enquanto Ted é, de certa forma, como nós somos, Barney é exatamente o que gostaríamos de ser. Ele é um cara extremamente confiante, em níveis que beiram o ridículo (claro que isso é feito para torná-lo o mais engraçado possível), e possui uma auto-estima praticamente inabalável. Agora faça como ele: vista um terno e aceite todos os desafios que propuserem a você!

“Quando eu fico triste, eu paro de ficar triste e em vez disso eu fico incrível. História real.” – Barney.

O Livro das Cantadas e o Código dos Bros

Falando sério, é simplesmente impossível você não se tornar fã do Barney. O personagem é completamente maluco, incrivelmente retardado, e consensualmente um mito! Na série, somos apresentados ao Livro das Cantadas e o Código dos Bros. Esse primeiro visa ajudar o “conquistador” iniciante a fazer sexo com a garota desejada (porém, não é aconselhável começar um relacionamento). Pode parecer machista (e é) tudo isso, mas é uma das coisas mais engraçadas de toda a série. Cantadas como “O Exterminador do Futuro“, o “Homem-Peladão“, “O Pênis dos Desejos Mágicos“, e até mesmo a SENSACIONAL “O Ted Mosby” farão você gargalhar alto! Muitas outras cantadas estão presentes nesse manual da conquista.

Além disso, todos vivemos sob um código de conduta pessoal. Alguns o chamam de moralidade; outros, de religião. Os Bros chamam de O Código dos Bros. O que é um Bro? Um Bro é um companheiro em quem você poda confiar eternamente e que estará sempre pronto para ajudá-lo (a menos que tenha coisa melhor para fazer). Agora imagine um livro que ensine os Bros a viver em harmonia, ter casos de uma noite só, levar sempre a quantidade certa de bebida para uma festa ou fingir um profundo conhecimento de esportes e mecânica, entre outras habilidades incríveis.

Barney Stinson, um reconhecido revolucionado (como ele mesmo se denomina), compilou esse código para que Bros do mundo inteiro possam esquecer suas diferenças e estreitar os laços de irmandade. Então, e somente então, conseguirão trabalhar juntos para vencer o maior desafio enfrentado pelo homem: transar. A primeira lei a ser seguida é “Os Bros antes das minas (a não ser que você esteja indo fazer sexo com ela)“, seguido por “Um Bro nunca revela a existência do Código Bro a uma mulher. É um documento sagrado que não deve ser compartilhado com garotas por nenhuma razão… Não, nem por essa“, entre muitas outras.

Vale lembrar que tanto o Livro das Cantadas e o Código dos Bros existem na vida real, e foram escritos por um dos roteiristas que trabalharam na série. Eu já tive a oportunidade de ler o grande manual da conquista, e confesso para vocês que foi uma experiência incrivelmente hilária!

Sua história nunca está realmente terminada!

Como toda boa jornada, você passa por altos e baixos. Aprende a sofrer, e os fortes, a não desistir. Sua história nunca está terminada. A vida é uma página em branco, esperando ser preenchida. Divirta-se. Para aqueles que, assim como eu, se emocionaram com vários dos acontecimentos da série, acredito que nenhum deles se compara à incessante busca de Ted pela sua alma gêmea. Eu sou um cara que já passei por problemas amorosos (quer dizer… todo mundo já passou – e se não passou, vai passar) e muito do que aprendi com o personagem me ensinou a levantar a cabeça e seguir em frente. A dona do meu guarda-chuva amarelo pode estar mais próxima do que eu imagino…

Ah, e claro… Não poderia deixar de falar dos atores! TODOS eles são sensacionais. Sinceramente, a série não seria nada do que é sem o carisma deles. Cada um consegue entregar dramas e personalidades satisfatórias, que fazem todos se apaixonarem. O final pode ter sido recebido de uma maneira negativa por diversos fãs, mas sinceramente, apesar de ser completamente inesperado, fez todo o sentido.

A série completa está disponível na Netflix, porém será retirada nos próximos meses. Se quiser, tem que correr para assistir!

How I Met Your Mother (How I Met Your Mother) – EUA, 2005 até 2014, cor.
Formato: Sitcom. Gênero: Comédia romântica/Comédia dramática. Duração de cada episódio: Aproximadamente 23 minutos. Criadores: Carter Bays e Craig Thomas. Elenco: Josh Radnor, Jason Segel, Cobie Smulders, Neil Patrick Harris, Alyson Hannigan, Cristin Milioti, etc.

Compartilhe

Sobre o Autor

Victor Dourado

Fissurado por quadrinhos, cinema, games e literatura. Estudante de Matemática e autor nas horas vagas. Posso também ser considerado como um antigo explorador espacial, portador do jipe intergaláctico que fez o Percurso de Kessel em menos de 12 parsecs.

  • Assim como na última vez que comentei nessa sua recomendação, tenho certeza que irei gostar de HIMYM por amar Friends, e as duas possuirem a mesma vibe. Mas o triste é que ela não está mais disponível na Netflix, então eu tenho que ver como vou fazer pra assistir. Principalmente sem um PC no momento.

    • Com certeza irá amar, meu amigo. Eu amo essa série com todas as minhas forças!
      Já retiraram ela da plataforma??? Caramba, pensei que seria só mês que vem. Uma pena, Black. Uma pena :/

      • Sim meu caro ): era até final de maio que ficaria. Agora provavelmente só naquele Fox play (talvez eu pague um ou dois meses só pra ver kkj)

        • Aragorn II, King of Gondor

          Tá na Netflix sim… eu assisti por lá ontem! ‘-‘

          Hahaha…. até dia primeiro de julho!

          • Como disse já, foi engano meu. Ainda há uns dias pra se despedir.

    • Ghostface

      Na minha Netflix ainda tá disponível.

      • Caraca , chequei aqui e também tá na minha. Será que confundi primeiro de junho com primeiro e julho? Ou a Fox se acertou com a Netflix e eu não soube?,

        • Ghostface

          Acho que vc se confundiu. A minha amiga tava desesperada e acabou vendo o episódio final antes de terminar o resto sem necessidade kkkkkkkkkkkk.

          • Confundi mesmo kkkj de toda forma, nem que eu quisesse conseguiria terminar a série nesse curto tempo.

    • Pra mim ainda tá. Aparece uma mensagem dizendo que será disponível apenas até o primeiro de julho.

      • É isso mesmo, Barney. Falha minha.

  • Ótima recomendação.
    HIMYM é minha série favorita (Até porque não assisti muitas), tanto que troquei o nick para homenagear meu personagem favorito.

    Tenho que assistir rápido, pois daqui a alguns dias tiram, mas já adiantei bem (tô + ou – na metade da oitava temporada). Acho que dá tempo.

    • Aragorn II, King of Gondor

      Eu acho que não vou conseguir acabar antes de tirarem… T-T

      Depois de gostar dessa… tem planos pra assistir outras série? Friends também é demais…

    • Muito obrigado, pesadão!
      Não é a minha favorita, mas figura entre as três que mais gosto!
      BARNEY DEUS SUPREMO!!!

      • Terminei a série. Gostei do final, até chorei.

        EU SOU UM DEUS SUPREMO DO UNIVERSO

  • Reprisando meu comentário, porque a impressão continua mesma…rs: Excelente texto, meu amigo. Ao que parece é uma comédia com muitos toques dramáticos, certo? É o tipo de série que não costumo ver, mas seu texto é daqueles capazes de convencer inúmeras pessoas a acompanharem a série. Fantástico.

  • Aragorn II, King of Gondor

    Cara…. estou no meio da quinta temporada – quinta? – e estou amando cada momento… como não iniciei antes???

    Bom, o post continua ótimo, né? Hahaha…..

    • COMO NÃO ASSISTIU ESSA PORRA ANTES???
      Eu me fiz essa mesma pergunta na época!
      Tomara que goste do final.

      E muito obrigado, seu porra!

  • Kleber Oliveira

    A série é muito boa mesmo. Só não gosto do Ted. Meu deos, o Ted…